Home / Competições / Mackenzie Dern: trajetória no UFC, quebra de recordes e foco ainda maior – graças a maternidade

Mackenzie Dern: trajetória no UFC, quebra de recordes e foco ainda maior – graças a maternidade

Mackenzie Dern vence Randa (Getty Images)

Mackenzie Dern já disse anteriormente que quer se tornar a primeira mãe a ser campeã do UFC. E parece que o sonho está caminhando para cada vez mais perto da realidade.

Ao contrário do que muita gente pensou quando a faixa preta anunciou a gravidez em fevereiro de 2019, a carreira dela não acabou. Mas em sua primeira luta após ter dado à luz a Moa, ela foi derrotada por Amanda Ribas por decisão unânime e então, as dúvidas sobre ‘a mãe campeã’ começaram a surgir por mídias especializadas.

No último final de semana, Mackenzie venceu Randa Markos no UFC Fight Night 178, finalizando a oponente com um arm lock no primeiro round. É a segunda luta consecutiva que ela conseguiu uma finalização no primeiro round, bem como a segunda consecutiva que ela levou para casa o bônus de performance da noite.

E então, após sua terceira luta como mãe, Mackenzie disse em entrevista ao canal do YouTube e podcast Jiu-Jitsu in Frames: “Esse foi meu segundo bônus consecutivo, então eu realmente entrei na luta procurando por esse bônus”. Pega essa motivação!

MACKENZIE DERN NO UFC

Mackenzie Dern assinou com o UFC em janeiro de 2018. Antes disso, ela estava invicta no MMA (5-0) mas ela não aparecia tanto quanto no jiu-jitsu. Dois meses depois de assinar o contrato, ela estreou no Ultimate Fight, vencendo a norte-americana Ashley Yoder por decisão unânime na categoria peso palha.

Em maio de 2018, ela voltou ao octógono para enfrentar Amanda Cooper e ainda lutou contra algumas polêmicas. Ela não bateu o peso e ficou 3,2kg acima do limite da categoria. Sendo assim, ela perdeu 30% da bolsa e Amanda concordou em lutar da mesma forma. Mackenzie venceu no primeiro round, finalizando a oponente com um mata leão.

Alguns meses longe da mídia, Mackenzie anunciou que estava grávida em fevereiro de 2019. Seria o fim da carreira da faixa preta?

Apenas quatro meses depois do nascimento da filha, Mackenzie voltou ao octógono no UFC Tampa para enfrentar a compatriota Amanda Ribas, uma lutadora completa, faixa preta de jiu-jitsu e muito boa na trocação. A luta terminou no último round por decisão unânime para Ribas e então, veio a primeira derrota de Mackenzie na carreira do MMA.

Em 2020, com a pandemia, o UFC teve uma pequena pausa, mas quando voltou, Mackenzie foi convidada a enfrentar Hanna Cifers no UFC on ESPN 9. Hannah vinha de uma derrota para Angela Hill em janeiro de 2020 e as duas atletas precisavam lutar para seguirem sendo bem vistas por Dana White.

Com as academias fechadas, Mackenzie estava treinando sem seus parceiros de treino e montando seus próprios treinos. Mas em maio do mesmo ano, ela venceu Hannah no primeiro round com uma chave de joelho e se manteve viva na divisão. Aqui, o primeiro bônus de Performance da Noite pela finalização.

No último final de semana, Mackenzie enfrentou a duríssima Randa Markos. Em uma de suas melhores formas, Mackenzie iniciou a luta cometendo um erro quase fatal no início, quando ela tentou acertar um chute e escorregou, mas isso não foi o suficiente para pará-la. Ela tentou um triângulo, conseguiu uma raspagem de omoplata e então, finalizou Randa com um arm lock – com uma perna presa na meia guarda da adversária.

“A gente sempre dá jeito, né? O jiu-jitsu é igual a xadrez, você faz um passinho e dependendo disso você tem várias opções. Eu estava com o braço dela bem justo, só não queria perder o cotovelo. Mas fora isso, era só achar a alavanca, o lugar certo. Várias vezes chegava a ser bem apertado e ela mexia um centímetro assim, e aliviava a pressão. (…) Eu nem percebi que meu pé estava preso, entendeu? Não estava pensando no meu pé. Só estava pensando em achar o ângulo certo do cotovelo. Eu até dei alguns socos assim para ela sentir um pouco disso e deu tudo certo”, disse Mackenzie ao Jiu-Jitsu in Frames.

Mackenzie surpreendeu muitas pessoas com a finalização e vem sendo uma grande representante do jiu-jitsu no Ultimate Fight, além de, mais uma vez, ter levado para casa o bônus de Performance da Noite.

O FOCO VEM DA MATERNIDADE

Não apenas no MMA, mas também no jiu-jitsu, Mackenzie estava com problemas de bater o peso. Ela foi criticada muitas vezes não apenas pelo peso ou forma física, mas por algumas derrotas como no ADCC de 2017, quando ela foi derrotada por Elvira Karppinen. As pessoas diziam que ela não estava focada e inclusive, faziam algumas piadas sobre a performance da atleta


Conforme citado anteriormente, Mackenzie estourou o peso em mais de 3kg no UFC 224 e quando falou sobre a gravidez, as pessoas pensaram que seria o fim da linha para ela. A propósito, ela reconheceu o erro. Mas em sua última luta, ela apareceu numa ótima forma física e muito mais do que apenas um “shape”, um ótimo preparo físico.

Após viver um “efeito sanfona” com peso, ela está treinando com o mesmo peso que está competindo – uma preocupação a menos para a luta. E ela relaciona o foco a maternidade.

“Eu acho que hoje em dia, eu estou mais focada e mais profissional como atleta. Antes eu lutava, eu era profissional, mas eu era uma menina com vidinha de luta. Eu fazia a luta, ia viajar, ia para festas, sabe? Eu relaxava e quando marcavam a luta, eu voltava a treinar. Hoje eu tenho minha família, não sou só eu (…) com a minha filha, com meu marido, a gente tá querendo correr atrás de uma casa, construir realmente a vida”, disse.

“Quando acabou a luta, eu já voltei para os treinos mesmo sem luta marcada e comecei realmente a ver o resultado. Caraca, treinar sem objetivo mas continua dando resultado, entendeu? Isso é ser profissional, dedicado, focado. E quando você começa a ver esse resultado, você só quer mais. Então eu fiquei bem mais focada por causa da minha filha, treinando também eu vi que meu peso tá continuando bem baixo. Eu lutei com 54,2kg e eu ganhei pouco peso depois da luta, entendeu? Estou treinando perto do peso que estou lutando. Então não sinto uma grande diferença lutando”, complementou, dizendo ainda que, para ela, só falta ganhar um pouco mais de massa muscular.

E em relação ao tempo que ficou longe das competições por conta da gravidez, ela disse: “Acho que se eu tivesse continuado como estava minha vida, e como é que eu tava tratando minha carreira antigamente, mesmo que eu tenha tirado um ano, acho que agora está me botando muito mais pra frente do que antes (…) Esse um ano realmente me colocou muito para frente e ajudou muito em minha carreira”.

 

A CHANCE DE QUEBRAR UM NOVO RECORDE NO UFC

Em meio a tantas coisas acontecendo na carreira profissional de Mackenzie, ela ainda pode quebrar um recorde no UFC como a mulher com mais números de finalizações na divisão peso palha.

Agora, ela está empatada com a ex-campeã da categoria Rose Namajunas – 3 finalizações para cada lado. Cynthia Calvillo tem o mesmo número, mas ela subiu de categoria.

“Sei que a cada luta vai ficar cada vez mais difícil. Mas estou empatada e eu só preciso de mais uma [finalização] para passar na frente e com certeza vai vir muito mais pela frente. Eu acredito que vai ser mais um recorde que eu vou quebrar”, disse Mackenzie.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Para nós que estamos acostumados a assistir Mackenzie em ação desde sempre, parece que ela está em uma idade avançada, mas vale lembrar que ela tem apenas 27 anos. Ainda há muita coisa para acontecer em sua vida de mãe-lutadora. E apesar de não parecer, ela está apenas começando e ainda tentando melhorar o seu jogo de trocação.

Mackenzie ocupa agora a 14ª colocação do ranking peso palha, mas segue subindo e, com certeza, em breve estará lutando pelo cinturão. Quem sabe um rematch contra Amanda Ribas?