Home / Destaques / Xande Ribeiro conta como ‘se virou’ treinando com menos graduados no início da faixa preta

Xande Ribeiro conta como ‘se virou’ treinando com menos graduados no início da faixa preta

Xande Ribeiro (Crédito: IBJJF)

7 vezes campeão mundial, Xande Ribeiro é sem dúvidas um dos maiores nomes do jiu-jitsu. Mas para chegar onde chegou, ele precisou ‘se virar’ logo no início da sua faixa preta treinando apenas com faixas brancas para desenvolver seu jogo.

 

Em entrevista para o quadro Open Mat no canal do Youtube e podcast Jiu-Jitsu in Frames, Xande contou que praticamente não teve vida de faixa preta no Brasil. Em 2001, ele foi graduado pelas mãos do irmão Saulo e, no início de 2002, estava em Ohio, nos Estados Unidos, morando, dando aula, cuidando da academia e competindo em alto nível.

 

Mas como era tudo muito novo, ele nunca entrou num tatame lotado de faixas pretas para treinar e teve que adaptar seus alunos para darem treino duro para ele.

 

“Eu peguei minha faixa preta e já me mudei [para os EUA]. Na verdade, nos meus primeiros três anos, era só faixa branca”, disse na entrevista.

 

Nascido em Manaus, no Amazonas, além da adaptação com os alunos, também houve a adaptação com o clima frio de Ohio. “Era um frio de -15 graus. Eu chegava na academia com a minha roupa de frio, sentava 40 minutos até o ar condicionado esquentar. Ai eu esperava aquecer, trocava de roupa, se a aula era 6 horas, eu chegava lá 3h”, contou.

 

O que Xande fazia era usar a metodologia criada por ele e pelo irmão para ensinar os novos alunos e pegar ainda mais pesado na parte física.

 

Nos treinos de jiu-jitsu, Xande tinha o costume de fazer bastante específico e se colocar em situações difíceis que poderiaam acontecer em suas lutas e assim, moldar os alunos, além de trabalhar habilidades individuais em cada um.

 

“Eu comecei a ver nos meus alunos quem tinham habilidades individuais. Então um eu ensinei meia guarda, o outro ensinei uma aranha, o outro eu botei bom de guarda fechada. Então eu adaptei vários alunos meus, os ‘tamagotchizinhos’, né, a me darem a dura naquele setor”, relembrou.

 

E ainda complementou: “Mas claro, fazia muito físico antes, aquela assault bike era minha namorada, aquilo ali era o dia inteiro. Usei muito kettlebell na época, tinha um professor de boxe também”.

 

E o treinamento com os menos graduados deu certo. Em seu primeiro ano nos Estados Unidos, ele foi campeão peso e absoluto no Pan Americano e, em 2002, ficou em terceiro lugar no Mundial.

 

“Perdi para o Pé de Pano no absoluto. Esse ano acho que ganhei do Werdum e de um monte de gente. Fui lutar a categoria no dia seguinte e não lutei porque me machuquei. Em 2003 foi Abu Dhabi, 2004 voltei para o Brasil e fui campeão, ai voltei para os Estados Unidos… Aí estava meu irmão e o Lovato já fazia parte da galera também, mas mesmo assim, era só eu, meu irmão e o Lovato. Eu não entrava numa sala com dez faixas pretas, nunca tive isso”, finalizou.

 

Para assistir a entrevista completa com Xande Ribeiro, acesse o canal no YouTube do Jiu-Jitsu in Frames ou se preferir, pode ouvir também no podcast.