Home / Destaques / Mackenzie Dern fala sobre profissionalização de crianças no jiu-jitsu e alerta: ‘Quando virar adulto é outra história’

Mackenzie Dern fala sobre profissionalização de crianças no jiu-jitsu e alerta: ‘Quando virar adulto é outra história’

Mackenzie Dern, Mundial IBJJF 2015 (Crédito: IBJJF)

No último domingo (10), Mackenzie Dern comemorou pela primeira vez um dia das mães sendo mãe. Ao lado da filha Moa, de 11 meses, a campeã mundial e peso-palha do UFC participou do quadro Open Mat no canal do Youtube e podcast Jiu-Jitsu in Frames.

 

Questionada sobre o futuro da filha nos tatames, Mackenzie assumiu que tem muita vontade que Moa pratique jiu-jitsu, mas disse que quer que as coisas aconteçam de forma natural e que tem medo de colocar uma certa pressão em cima da criança.

 

“Ela gosta de ficar brincando lá na academia, fico fazendo rolamento com ela, mas fico com medo de ela sentir muita pressão, entendeu? No fundo no fundo, eu fico ‘tomara que minha filha treine’, mas eu tento botar menos pressão possível porque foi o que meu pai sempre fez comigo”, disse Mackenzie.

 

A faixa preta começou a treinar jiu-jitsu bem cedo por influência do pai, Megaton, mas garantiu que nunca se sentiu pressionada a competir e ser uma grande campeã, mas que desde sempre, gostava de acompanhar o pai por sentir que o jiu-jitsu era como uma família para ela e por isso, sempre ia para a academia e para os campeonatos, mas sempre tentou outros esportes também.

 

Por conta disso, Mackenzie fez uma observação sobre a profissionalização precoce no esporte. Para ela, ver crianças atualmente cheia de patrocínios e competindo em alto nível é muito legal, mas por outro lado, sente-se nervosa pensando em como vai ser quando a criança passar para a divisão adulto.

 

Ela ainda comparou que, no jiu-jitsu, como não há uma separação entre profissionais e amadores, pode ser frustrante para aquela criança que pratica por hobby acabar esbarrando uma profissional no campeonato. “Você tem umas crianças que são realmente muito mais profissionais na idade delas. Mas eles não estão competindo com outras crianças iguais a ela, estão competindo com outras crianças que estão só na paz e no amor e ‘ah, minha mãe me botou nesse jiu-jitsu para treinar’, entendeu?”, disse.

 

“Quando virar adulto, daí já é outra história. Você começa a enfrentar os caras adultos, adultos mesmo, com força de homem, talvez não ganhe tantas vezes e coisas assim e acaba tendo um pouco de depressão ou fica muito triste porque de criança estava ganhando tudo e quando vira adulto, tem um tempinho de achar esse equilíbrio”, falou.

 

Mackenzie ainda fez um alerta para os pais: “Parece que os pais querem tanto que vire profissional, mas é só uma criança ainda. Deixa ele curtir a vibe de criança também, porque vai chegar a hora de ser adulto mesmo”.

 

Ela também fez um paralelo com a ginástica olímpica, onde desde cedo as crianças já entram com objetivos maiores, como ir a uma Olimpíada. Mas para ela, o jiu-jitsu não será assim e finaliza: “Mas o jiu-jitsu não é assim. Os pais botam as crianças para aprender disciplina, defesa pessoal, para ter mais confiança, auto-estima… Os pais estão usando o jiu-jitsu como um hobby para as crianças”.

 

Para assistir a entrevista completa com Mackenzie Dern, acesse o canal no YouTube do Jiu-Jitsu in Frames ou se preferir, pode ouvir também no podcast.