Home / Competições / Andressa Cintra relembra primeiro mundial na faixa preta e a sensação de ‘bater de frente’ com ídolos

Andressa Cintra relembra primeiro mundial na faixa preta e a sensação de ‘bater de frente’ com ídolos

Andressa Cintra comemora primeiro título mundial na faixa preta (Foto @yasmynadelinephoto)

Atual campeã mundial, Andressa Cintra conquistou a faixa preta mais rápido do que ela mesmo imaginava. Em 2017, após ter sido campeã Sul Americana na faixa marrom, seu professor da época Sebastian Lalli a graduou no pódio.

 

No ano seguinte, Andressa foi para o seu primeiro mundial na nova faixa embalada em títulos nas faixas anteriores e, em entrevista para o canal do YouTube e podcast Jiu-Jitsu in Frames, a atleta contou que consegue lembrar de todos os detalhes da estreia.

 

“Eu lembro de tudo!”, riu. “Minha primeira luta foi com a Luanna Alzuguir, eu não gostava muito de ver a chave antes, eu só me preparava, chegava lá e lutava com quem estivesse na minha frente. Eu estava esperando para lutar e o Lucas [Valente] já sabia”, disse Andressa.

 

Ela contou que então, o marido já montou a estratégia para ela e, quando ela olhou para o lado, achou incrível ter visto a Luanna do lado dela, mas acabou se surpreendendo: “Na hora que eu fui entrar para lutar, olhei para o lado era ela. Olhei para o Lucas e me deu um susto, mas ao mesmo tempo, deu uma coisa: ‘caramba, eu tô lutando com a minha ídola’. Que sensação maravilhosa”.

 

Naquele momento, ela tentou tirar todos os pensamentos de fã da cabeça e se comprometeu a lutar para vencer, independentemente de quem fosse. E ela venceu. Na sequência, a próxima luta (semi-final) já seria com Claudia do Val.

 

Ela relembra que foi finalizada por um triângulo pela atleta da Soul Fighters, mas ainda que no seu primeiro ano como faixa preta no mundial, conquistou o bronze. “Fiquei muito triste depois porque você cria uma expectativa muito grande, mas foi bom para mim porque aprendi muita coisa depois desse mundial”.

 

“Você espera que vai ser muito legal e encontra as meninas de um nível altíssimo. Na faixa marrom, o nível se iguala. Na faixa roxa, o nível se iguala. Mas na faixa preta, você entra com as meninas lá em cima, então você tem que alcançar elas ou passar, e é muito difícil”, falou.

 

Andressa acredita que mesmo com tantas dificuldades, conseguiu alcançar o topo da elite muito rápido, já que, em 2019, voltou para a competição, finalizou todas as lutas e venceu ninguém mais, ninguém menos do que Luiza Monteiro na final do meio pesado.

 

Atualmente morando no Texas e treinando na Gracie Barra com o professor Vinicius “Draculino”, e conta que o segredo é um só: “Até achei que fui muito rápido, mas como eu treinei”, finalizou Andressa.

 

Para assistir a entrevista completa com Andressa Cintra, acesse o canal no YouTube do Jiu-Jitsu in Frames ou se preferir, pode ouvir também no podcast.