Home / Competições / Brasil / Após um ano morando em uma van, Conner Deangelis divide o que tem aprendido com a experiência

Após um ano morando em uma van, Conner Deangelis divide o que tem aprendido com a experiência

Conner DeAngelis na faixa roxa. (Crédito: HightierPhoto)

Há um ano, contamos aqui a história de Darin Conner Deangelis, faixa marrom da Atos Jiu-Jitsu que construiu uma van para morar. Ele saiu da casa dos pais, na Carolina do Norte, rumo a San Diego, na Califórnia, para viver o sonho de viver cada vez mais perto do jiu-jitsu e focar 100% na carreira de atleta. A alternativa foi construir uma van para economizar dinheiro de aluguel.

 

Após pouco mais de um ano, Conner segue morando na van e treinando com o professor André Galvão e, em entrevista para o canal do YouTube e podcast Jiu-Jitsu in Frames, ele contou um pouco sobre o que aprendeu com esse novo estilo de vida.

 

Para ele, o fato de morar em uma van e poder passar os dias “morando” também no estacionamento da academia, faz com que ele consiga treinar e se focar ainda mais, mas apesar de nunca ter desculpas para faltar a um treino, ele também fala sobre a parte negativa: “Quando você está machucado, doente ou alguma coisa assim, pode ser o contrário, pode se prejudicar um pouquinho porque você não tem uma saída, não tem nada para fazer além de treinar, você está sempre no estacionamento da academia. Então tem os lados positivos e negativos também, mas eu acho que a maioria são os positivos”.

 

Atualmente, Conner já está acostumado a viver sozinho, mas não era assim no início. Ele conta que estava sempre acostumado a dividir uma casa com alguém e na van, a sua vida passou a ser mais individual. “Nas primeira duas semanas eu fiquei muito triste. Eu não tinha ninguém, sempre tive um rommate comigo numa casa e quando isso foi embora, foi bem diferente”, disse.

 

Mas a maior lição para ele foi conhecer mais de si mesmo. “Você realmente começa a se entender um pouquinho mais e acho que isso foi o maior aprendizado e me evoluiu”, complementou o faixa marrom.

 

Um dos objetivos de Conner neste ano era vencer seu primeiro mundial na faixa marrom, além de disputar também o Campeonato Brasileiro. Por enquanto, por conta da pandemia de COVID-19, o sonho foi adiado. Em tempos de isolamento social, ele foi rumo a casa dos pais em seu estado natal (sem a van) e tem procurado fazer coisas diferentes do jiu-jitsu, como ler livros e aproveitar o lago que tem próximo a casa para andar de canoa.

 

Mas para quando tudo voltar ao normal, Conner já tem novos planos: pegar a van em San Diego e dirigir rumo a Denver, no Colorado, onde vai passar uma temporada treinando com seus amigos de treino Michael Liera e YJ Lee, que recentemente, iniciaram uma nova jornada abrindo uma filial da Atos, a Lōgōs Jiu-Jitsu.

 

A ideia de treinar lá por um tempo é ter novos parceiros de treino e conhecer diferentes tipos de jogo, algo que ele considera primordial depois de cinco anos vivendo em San Diego. “Estou treinando num ambiente que tem tantos caras bons, e vou mudar para um ambiente que só tem alguns. Mas acho que realmente pode ser um benefício porque você vai ser o ‘monstro’ do tatame, então você está sempre trabalhando seus ataques, que eu acho que é bem melhor do que só se defender”, falou.

 

Para ele, isso vai complementar ainda mais seus treinos, já que está sempre se defendendo na academia contra campeões como Hulk e Braguinha. “Quando você chega no campeonato, acaba ficando com receio de atacar mais. Acho que num ambiente que tem poucas pessoas muito boas, óbvio que tem que ter algumas pessoas muito boas para experimentar suas novas técnicas, mas acho que é isso. Ajudar a evoluir até mais. Essa é a minha ideia sobre a mudança”, disse.

Empolgado com a nova mudança e experiência diferente, quando tudo isso passar, Conner está preparado para fazer uma longa viagem de 15 horas até sua nova cidade, mas com sua antiga casa: “Quando você tem sua cama atrás, não é tão ruim”, finaliza.

 

Para assistir a entrevista completa com Conner Deangelis, acesse o canal no YouTube do Jiu-Jitsu in Frames ou se preferir, pode ouvir também no podcast.