Home / Top News / Claudia do Val abre o jogo sobre bulimia e divide o que já sofreu: ‘Faça por você e não pelos outros’

Claudia do Val abre o jogo sobre bulimia e divide o que já sofreu: ‘Faça por você e não pelos outros’

Claudia do Val no Europeu de 2020 (Foto: IBJJF)

Recentemente, a tricampeã mundial Claudia do Val fez uma publicação em suas redes sociais falando sobre bulimia. Durante quatro anos, a atleta sofreu com a doença e decidiu compartilhar mais uma vez contando um pouco do que aconteceu com ela em um período de quatro anos.

View this post on Instagram

***Body Issues*** For as long as I can remember I was never fully satisfied with my body. I used to hate the way I looked so much that I had all sorts of eating disorder; I tried starving myself countless times to lose weight, those never worked so I struggled with bulimia for nearly 4 years (until 2014) until I understood my condition and decided to seek help. Until I finally understood that liking how you look is connected to liking and accept who you are. I'm still not 100% satisfied with my look and there is nothing wrong with wanting to improve your body and health. But I understand that before deciding to change anything I need to first love and respect myself?❤ #love #respect #bodyissues #body #eatingdisorderawareness

A post shared by Claudia do Val (bjj) (@claudiadovaljj) on

Em entrevista ao canal Jiu-Jitsu in Frames, Claudia trouxe novamente a reflexão e contou tudo o que sofreu na época em que teve bulimia.

 

“Eu era bem, bem cheinha e eu não gostava. E eu sofri muito bullying na escola. O pessoal me chamava de gorda, de baleia, de obesa, pessoal ficava me chamando de feia… Durante todo meu período do ensino médio”, disse. Porém, Claudia contou que se olhava no espelho e pensava ‘não ser tão feia assim’, mas ao mesmo tempo, quando alguém olhava para ela, automaticamente ela achava que a pessoa estava pensando o quanto ela era feia.

 

Por conta disso, Claudia tentou várias vezes perder peso, mas sem ajuda profissional. Para ela, perder peso era só passar fome por alguns dias e tudo bem. “Eu morria de fome durante um mês, perdia peso e, obviamente, no outro mês voltava em dobro”, lembrou.

 

Antes do jiu-jitsu, Claudia também treinou judô e conta que foi algo que a fez sentir que estava emagrecendo. Por conta de uma cirurgia no ombro, teve que pausar o judô e, com a falta da arte marcial e pela busca pelo emagrecimento rápido, começou a frequentar academia de forma exacerbada, combinado com uma dieta de “passar fome”.

 

Depois de muito tempo fazendo esse tipo de dieta, Claudia contou que sempre tinha um dia em que ela queria comer tudo o que via pela frente e, em uma dessas vezes, depois de ter comido muito, decidiu tomar um laxante.

 

“Fiz isso uma vez, passou umas duas semanas fiz de novo… E comecei a tomar laxante quase sempre. Eu não lembro bem como chegou nessa situação, mas chegou uma época que eu tomava laxante todos os dias”, disse Claudia, que também alertou: “A dose recomendada é um [comprimido]. Eu cheguei numa fase que eu estava tomando 7 comprimidos por dia. Já teve dias de eu tomar uma cartela inteira, uma cartela com 20”. Além do laxante, Claudia também chegou a tomar diurético algumas vezes e, por conta da falta de nutrientes, já chegou até a desmaiar na rua.

 

A luta de Claudia contra bulimia durou cerca de quatro anos e ela não havia entendido muito bem o que estava acontecendo. Até que um dia decidiu pesquisar e descobriu que era uma doença. Foi então que decidiu falar abertamente sobre isso, escrevendo uma publicação no Facebook e pedindo ajuda para a mãe – que não sabia disso tudo até então.

A partir de então, ela começou a se tratar e aos poucos foi voltando a vida normal. Ao parar, ela começou naturalmente a ganhar peso, mas hoje, consegue fazer tudo o que precisa para controlar o peso de forma responsável e, mais do que isso, ela conta que aprendeu a se aceitar: “Hoje em dia se vejo um número muito grande, não fico desesperada a ponto de tomar um diurético. Parei com isso, sempre tomo muita água para ficar saudável e melhorei bastante. Mas eu tinha e não sabia que era uma doença”.

 

“O mais importante é você amar e se aceitar. Por mais que você esteja com um peso a mais, você não é uma pessoa diferente. Eu lembro que quando estava com o peso muito grande eu não queria treinar porque não queria que as pessoas me vissem daquele tamanho. Então assim, hoje em dia eu falo assim ‘não importa se estou um pouco maior ou menor e como estou’. Se seus amigos ou alguma pessoa deixar de gostar de você porque você aumentou de peso, é uma pessoa que você não precisa na sua vida”, complementou.

 

Ela deixou claro também que, para ela, é normal querer mudar coisas no corpo porque ninguém é obrigado a estar 100% satisfeito, mas que tudo deve ser feito com cautela e responsabilidade. “Faça por você e não pelos outros“, finalizou Claudia.

 

Para assistir a entrevista completa com Claudia do Val, que também falou sobre a mudança de equipe, você pode acessar o canal no YouTube do Jiu-Jitsu in Frames ou se preferir, pode ouvir também no podcast.