Home / Competições / Mundial 2017 – Análise das categorias na faixa preta masculino (Galo ao Médio)

Mundial 2017 – Análise das categorias na faixa preta masculino (Galo ao Médio)

No próximo final de semana acontecerá o evento mais esperado por parte dos fãs de Jiu-Jitsu. A Walter Pyramid, em Long Beach receberá mais uma edição do Mundial de Jiu-Jitsu da IBJJF. O evento será transmitido pelo Flograppling na íntegra.

O BJJFORUM como de costume, fará uma análise de todas as categorias da faixa preta (Masculino e Feminino) e destaques das faixas de base (azul, roxa, marrom).

Categoria Galo

Nos últimos três anos, o peso galo foi dominado pelo octacampeão e Hall da Fama IBJJF Bruno Malfacine (Alliance). Com atuações sólidas e um Jiu-Jitsu progressivo já renderam ao “Bad Boy” um ouro no Panamericano deste ano. Todas essas credenciais colocam Malfacine como um dos favoritos na categoria.

Caio Terra (Brasa CTA) e Lucas Pinheiro (AMBJJ – Alex Martins Brazilian Jiu-Jitsu) aparecem como os principais nomes que podem surpreender o atual campeão. Caio já venceu Bruno Malfacine em duas oportunidades (2008 e 2013), porém no ano de 2017, Caio tem vivido às voltas com as lesões. Lucas fez uma ótima luta contra Malfacine na final do Pan e mostrou que tem Jiu-Jitsu para chegar a final.

Correndo por fora, aparecem: Rodnei Junior (Zenith / Qatar BJJ), Aniel Bonifácio (Qatar BJJ) e Raul Marcello (Ribeiro Jiu-Jitsu).

Categoria Pluma

Após o anúncio da suspensão do atual campeão Paulo Miyao por doping, o peso pluma se tornou a categoria com mais postulantes ao título de todo o mundial, com pelo menos dez nomes que podem chegar ao ouro. Atletas experientes como: Gabriel Moraes (Alliance), Carlos “Esquisito” Holanda (Alliance) , Daniel Beleza (SAS Team) se juntam aos competidores mais novos como:  Mikey Musumeci (Brasa CTA), Isaac Doerdelein (Alliance).

A Equipe Cícero Costha terá três atletas no páreo, estes atletas são: João Miyao (que tentará repetir o feito do irmão na categoria), Hiago George e Tiago Barros.

Ary Farias (Atos) herdou o título de campeão de 2016 com a punição aplicada a Paulo. Esse ano, o manauara quer vencer como em 2011 e reviver a glória do título dentro do tatame.

Categoria Pena

Com o anúncio de aposentadoria de Rafael Mendes, que aos 27 anos decidiu se retirar das competições oficiais e dedicar-se única e exclusivamente a sua família e sua academia, mexeu com os rumos da categoria.

Com a ausência de Rafael, Rubens Charles “Cobrinha” (Alliance) surge com ótimas chances de garantir o pentacampeonato e assim completar o Grand Slam do Jiu-Jitsu (Quando um atleta vence o Campeonato Europeu, Panamericano, Brasileiro e Mundial no mesmo ano).

Márcio André (Nova União), Gianni Grippo (Alliance), Osvaldo “Queixinho” (ARES BJJ) e os atletas Samuel Braga e AJ Agazarm (Gracie Barra) são os principais concorrentes de Cobrinha no campeonato. Shane Jammil Hill-Taylor (Team Lloyd Irvin) pode surpreender por causa do seu bom desempenho no Pan desse ano.

Categoria Leve

A categoria leve possui ótimos postulantes ao título, porém um concorrente larga à frente dos demais, este concorrente é Lucas Lepri (Alliance). Lepri conquistou o Panamericano desse ano com a incrível marca de não ter tomado um ponto sequer durante a competição.  Seu companheiro de equipe Michael Langhi (Alliance) também possui grandes chances de chegar a final e assim ocorrer um fechamento entre atletas do mesmo time.

Para acabar com o reinado da Alliance na categoria temos alguns nomes da nova geração como: Edwin Najmi (Gracie Barra), Michael Liera Jr (Atos) e Renato Canuto (Zenith) e alguns nomes conhecidos do público do Jiu-Jitsu como o tricampeão mundial Celso Venicius (Ryan Gracie), Roberto Satoshi (Bonsai), Gabriel “Palito” Rollo (Checkmat) e Marcelo “Lapela” Mafra (Checkmat).

Categoria Médio

Com 29 atletas no total, a categoria médio é a mais cheia de todas na faixa preta. Após um período de domínio por parte de Leandro Lo, a categoria teve uma alternância de campeões nos últimos anos. Em 2015, Cláudio Calasans venceu Vitor Oliveira na fina, já em 2016, houve um fechamento entre Gabriel Arges e Otávio Sousa, ambos da Gracie Barra.

Os finalistas do ano passado surgem com grandes chances de repetir o fechamento, porém atletas como: Vitor Oliveira (GFTEAM) , Jaime Canuto (GFTEAM), Isaque Bahiense (Alliance), Marcos “Lekinho” Tinoco (Alliance), Manuel Ribamar (NS Brotherhood) e Josh Hinger (Atos) podem ser algumas pedras que os atletas da Gracie Barra terão que enfrentar até a final.

Correm por fora, nomes como: Victor Silvério (GFTEAM), Felipe César (B9), Jon Satava (Alliance)

 

 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com