” Há uma era antes, e outra depois de Rolls” – Royler Gracie.

Rolls foi um visionário, o primeiro Gracie a ter a mente aberta para outras lutas que poderiam levar ao aperfeiçoamento do Jiu Jitsu como arte marcial. Ele foi o início da abertura do Jiu Jitsu, plantou a semente, junto com Carlson Gracie na democratização do Jiu Jitsu tirando a arte marcial do confinamento imposto pelas rígidas regras de Hélio e Carlos Gracie, principalmente no que se refere a terem aulas particulares para pessoas endinheiradas e para treinarem outras modalidades.

Rolls treinava judô, wrestling, sambô e fazia treinamento e preparação físicas.

Confiram excelente artigo sobre a lenda do site bjjheroes.com.br:

Nascido a 28 de Março de 1951 Rolls Gracie foi um dos filho ilegítimos do fundador do Gracie Jiu-Jitsu, Carlos Gracie, tendo sido criado maioritariamente por seu tio Helio Gracie a pedido de Carlos que viajava com regularidade e não tinha a estabilidade familiar de Helio para cuidar de crianças. Rolls começou praticando Jiu-Jitsu quando ainda mal sabia caminhar, competindo logo cedo, vencendo todos os troféus que havia para ganhar na época.

Foi o primeiro dos Gracie a procurar ativamente competir em Wrestling (estilos freestyle e greco-romana) e Sambo assim como Judô. Rolls começou experimentando o treinamento em outras artes marciais através do Judoca Osvaldo Alves, um grande amigo da família Gracie que tinha uma tremenda bagagem de sabedoria de queda, tendo treinado no Japão e que também treinava Jiu Jitsu. Mais tarde Rolls procurou o penta campeão de luta greco-romana, o Americano Bob Anderson, que o ajudou a melhorar o seu jogo sem kimono em pé, Anderson e Rolls desenvolveram uma forte amizade com o passar dos anos passando muito tempo treinando juntos e trocando ideias. Um dado interessante sobre esta parceiria é que a famosa ‘Chave Americana’ foi batizada com esse nome devido a predileção de Anderson por essa finalização.

Rolls conheceu Anderson através de uma conexão na federação de Wrestling (Luta Livre) Colombiana, que utilizou para fazer um convite a Bob de vir para o Rio de Janeiro ensinar o seu estilo de luta por dois meses. Bob ficou na casa de Rolls Gracie pela duração desse período lhe ensinando muitas das suas técnicas de Luta Livre Olímpica (Wrestling) favoritas. Um episódio engraçado é contado de quando o americano descobriu que Rolls era campeão Brasileiro de Jiu Jitsu no seu peso e também na categoria de absoluto. Ele não podia acreditar que uma pessoa de tamanho Rolls pudesse ganhar uma competição sem limite de peso e terá menosprezado o feito do Gracie. Depois de alguns dias zombando Rolls com essa conversa, o Gracie convidou-o para uma sessão de treino de Jiu Jitsu, onde passou alguns minutos amassando o Americano (que era bem maior do que ele) o finalizando por 10 vezes.

Rolls treinou também ginástica olímpica e surfe para melhorar a sua capacidade atlética, e foi inclusive o primeiro membro da família Gracie a comprar uma prancha de surfe. Existe até uma história engraçada de um dos primeiros contatos de Rolls com a comunidade do surfe. Quando um dos alunos de Rolls, Mario Gomes (que se tornaria uma estrela das novelas na década de 1980) estava surfando na famosa praia do Arpoador, ele teve um desentendimento com um surfista famoso chamado Daniel Sabbá acabando sendo expulso da praia. Mário estava tão furioso com a situação que foi na academia de Rolls e contou tudo para o seu mestre. Rolls decidiu dar um passeio pela praia e procurar o fortão para conversar, levando alguns de seus alunos consigo. Assim que ele chegou e exigiu uma explicação, a confusão cresceu e aconteceu uma briga generalizada. A briga porém durou pouco e em apenas alguns minutos todos os surfistas estavam dormindo na praia. Esse feito foi tão impressionante que vários dos surfistas se tornaram alunos de Rolls apenas algumas semanas depois, inclusive Sabbá.

Depois de algum tempo longe das competições devido à falta de um desafio no Jiu Jitsu, em 1977 Osvaldo Alves lhe propôs uma luta casada contra um aluno dele que acreditava ter chances de vencer Rolls. O nome desse lutador era Paulo Boca, que tinha 90 kg e havia sido campeão brasileiro de Judô. A luta ocorreu no Mello Tenis Club. Ao fim de alguns minutos, como nenhum dos dois lutadores conseguia derrubar um ao outro (embora tivessem tentado arduamente), Rolls tomou a iniciativa e puxou pra guarda, Paulo no entanto ficou esperto e não tentou passar, se contentando em segurar Rolls o tanto quanto pudesse até o final da luta. Com a tabela marcando um zero a zero, os juízes deram a vitória a Rolls Gracie devido à sua mentalidade ofensiva constante. Essa seria a primeira vez na carreira de Rolls em que ele não finalizou o seu adversário.

Em 1979 Rolls competiu no campeonato Pan-Americano de Sambo, um torneio em que ele venceu duas medalhas de ouro (no peso e no absoluto). No mesmo ano ele lutou também no campeonato Pan-Americano de wrestling em San Diego onde também conquistou o ouro. Depois desses feitos no exterior ele foi convidado para ficar nos Estados Unidos e ensinar para a LAPD (Departamento de Polícia de Los Angeles) a magia da sua arte. Infelizmente para a LAPD ele recusou o que era um excelente salário na época, principalmente porque Hélio Gracie discordava da mudança para os Estados Unidos.

Rolls Gracie tentou também fazer uma Equipe Brasileira de Wrestling para poder competir nas olimpíadas de Moscovo mas não deu certo devido à falta de organização e dificuldades burocráticas. Acabou juntando um time dos Gracie para os jogos Pan-Americanos do ano seguinte (1980) e conquistou a medalha de Bronze.

Se conta que a sua visão global do Jiu-Jitsu chocava muitas vezes com as visões mais tradicionais de Hélio Gracie, o homem que o criou, mas que ele por vezes sentia negligencia-lo em favor dos seus próprios filhos. Rolls acabou deixando a academia de Hélio, onde dava aula, para se juntar ao seu irmão mais velho, Carlson Gracie. Juntos formaram uma forte aliança, um duro golpe para Helio que não se dava bem com Carlson. Depois de alguns anos com Carlson, Rolls sentiu que precisava de se expandir, e com o consentimento do seu irmão, abandou a academia de Carlson em Copacabana e fundou a sua própria, onde era auxiliado pelo seu irmão mais novo Carlinhos” Gracie.

De acordo com o livro de Reila Gracie “Carlos Gracie: O Criador de Uma Dinastia“, Rolls formou 10 faixas pretas (e não 5, como se pensava), em seu tempo de vida. Eles teriam sido:

Esta afirmação no livro de Reila é contudo facilmente contestada, sendo que é sabido que pelo menos um dos lutadores na lista (Fabio Macieira) deixou a academia quando era faixa marrom. Outros, como seus irmaos Crolin e Carlinhos teram treinado com Rolls, mas recebido a faixa preta de seu pai, Carlos Gracie.

O seu trágico falecimento ocorreu a  6 de Junho de 1983, devido a um acidente de asa-delta, apenas com 31 anos, deixando 2 filhos e esposa. O seu primo Royler Gracie uma vez disse: “Existe uma era antes e outra depois de Rolls”.

Fim do artigo da BJJHeroes.com

Confira alguns vídeos da lenda:

Rolls Gracie vs Rickson Gracie