Home / Colunas / Agnes Lima / Eu no IVC. Retorno do evento que movimentou o fim de semana no interior de São Paulo

Eu no IVC. Retorno do evento que movimentou o fim de semana no interior de São Paulo

Felipe Micheletti, o campeão do IVC com seu treinador Adriano Carsetti e o criador do IVC Sergio Batarelli

Felipe Micheletti, o campeão do IVC com seu treinador Adriano Carsetti e o criador do IVC Sergio Batarelli

No último final de semana, mais precisamente no sábado dia 20 de agosto, tivemos o retorno do grande evento de vale tudo brasileiro dos anos 90, o IVC.

Criado em 1997 por Sérgio Batarelli, quando aconteceu a primeira edição, o IVC era considerado o mais real (e violento) dos eventos de vale tudo, ficando famoso pelo lançamento de lutadores que se tornaram de extrema importância para o mundo do MMA, tais como Wand Silva, José Pelé Landi, Chuck Liddell, Babalu, Artur Mariano, Wallid Ismail, entre outros, chegando a ficar entre os três maiores do mundo, atrás somente do Pride e do UFC.

Naquele tempo, as regras restritivas incluíam apenas não morder, enfiar os dedos nos olhos, colocar os dedos dentro da boca, seguras nas cordas, chutar se estivesse usando sapatilha e colocar as mãos ou pés dentro da sunga do adversário. E era realizado sem luvas.

É claro que com as devidas mudanças que o esporte exigiu nesse período, e com a inserção de modalidades no retorno do evento, ali pertinho do Batarelli eu acompanhei a volta desse evento que marcou a história da luta no Brasil e vou contar pra vocês como foi!

A organização

Para pessoas como eu acostumada a frequentar eventos de MMA, desde UFCs à eventos de academia de cidades pequenas, devo confessar que a organização e beleza desse evento me deixou de olhos brilhando.

Batarelli acertadamente escolheu uma das casas de eventos mais elegantes da cidade de Sorocaba (minha cidade), aliás, a 200m da minha humilde residência, o que deu um ar totalmente ‘classudo’ ao retorno do evento.

Tudo impecável. Desde a entrada, a colocação das cadeiras, o posicionamento do ringue, a iluminação, a qualidade da transmissão WEB, até o telão que o local possuía pra quem quisesse acompanhar foram de uma qualidade ímpar. Eu gostei DEMAIS (também) dessa parte.

Com transmissão internacional com os comentários do próprio Batarelli o retorno do IVC foi assistido pelo mundo todo.

As lutas

Essa edição de retorno do IVC contou com combates épicos e nocautes espetaculares.
O evento teve dois torneios, um de MMA e outro de kickboxing, uma luta especial de boxe profissional e a luta principal pela disputa do título mundial da WKN ( World Kickboxing Network) entre o brasileiro Felipe Micheletti e o argentino Rogélio Ortiz.

Com lutas muitíssimo bem escolhidas, oponentes parelhos e várias modalidades, o que não faltou foram lutas emocionantes.

Felipe Micheletti não deu chances para o argentino, logo no primeiro round entrou arrebentando com chutes e joelhadas que fizeram Ortiz cair. Em apenas 1 minuto e 45 segundos Micheletti conseguiu finalizar a luta com um belo soco rodado, não dando possibilidade para o argentino se recuperar, sagrando-se campeão mundial pela WKN.

Na luta especial de Boxe, o pugilista sorocabano, e meu amigo lindo, Juliano Ramos enfrentou o argentino Pablo Rico que não aguentou os potentes golpes e foi nocauteado no 4 round.

O pugilista Juliano Ramos

O pugilista Juliano Ramos

O GP de MMA contou com quatro atletas e o campeão foi o maranhense Brendo Bispo, da Chute Boxe Diego Lima, que enfrentou Van Rocha na primeira luta e a final contra Clécio Bruto.

Brendo Bispo, com a equipe Chute Boxe Diego Lima

Brendo Bispo, com a equipe Chute Boxe Diego Lima

 

Já no GP de kickboxing feito por oito atletas o campeão foi outro sorocabano Marcos Lolata, que após fazer três lutas na mesma noite, levou o público ao delírio ganhando o torneio.

Marcos Lolata, campeão do GP de Kickboxing

Marcos Lolata, campeão do GP de Kickboxing

Eu no IVC

Sinceramente eu nem esperava um evento tão bonito quanto foi, sou honesta em dizer. Quando a gente lembra de IVC, lembra daquele tempo em que a violência dentro do cage imperava e, pra muitos, essa é a maior nostalgia.
Honestamente pra mim a evolução do esporte nos exige prosseguir sobre regras mais seguras para que cada vez mais possamos ir adiante. É a evolução.

Sei que muita gente que curte há muito tempo, como eu, e mais tradicional e acha que a verdadeira luta é o Vale tudo, mas eu devo confessar que ver lutas tão técnicas e bem executadas como foram no IVC me dão orgulho de viver pra falar de luta.

Obviamente eu acho que nesses padrões o IVC não é um evento compatível com o público do MMA nacional, essa seria a minha única crítica. Evento elegante, caro (para os padrões nacionais), porém com lutas de atletas sem renome. Não alcança o público de MMA geral nesse padrão, mas alcança um público que realmente gosta de luta. O que pra mim é ainda mais legal.

Eu tietando Thominhas Almeida, lutador do UFC

Eu tietando Thominhas Almeida, lutador do UFC

Isso não diminui absolutamente em nada a qualidade das lutas, mas infelizmente o público, pra pagar por voltar de 100 reais num ingresso, quer ver lutas com nomes famosos.

Pra não falar que passei em branco, tietei os famosos do evento.

Eu continuarei seguindo o IVC onde ele for, pois o evento impecável realizado pelo Batarelli me conquistou novamente, e dessa vez ao vivo.

IVC 15 – THE NEQW ERA: Resultados

Felipe Micheletti venceu Rogélio Ortiz por Nocaute
Marcos Lolata venceu Michel Papa
Brendo Bispo venceu Clécio Bruto por nocaute
Juliano Ramos venceu Pablo Rico por nocaute
Diego D’Avila e Jesus Campos sem resultado
Bruno Brazil venceu Alessandro Buccioli
Diego ‘ Black D’ venceu Theel Trindade por nocaute
Marcos Lolata venceu André Banana Ninja por Nocaute
Michel Papa venceu Valdenir Kakaroto
Brendo Bispo venceu Van Rocha por finalização
Clécio Bruto venceu Michael Fudêncio por nocaute
Marcos Lolata venceu Cicero Evangelista
Michel Papa venceu João Paulo Avatar
Valdenir Kakaroto venceu Wesley Sanchez
André banana Ninja venceu Bruno Kalaf

About Agnes Lima

Announcer de MMA, formada em arbitragem de boxe pela Liga Sorocabana de Boxe e em MMA pela Associação Brasileira de Arbitragem de Lutas. Atuou como juíza e locutora em campeonatos regionais e estaduais de boxe e é fundadora do grupo de Facebook “Do Vale Tudo ao MMA”.
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com