Home / Colunas / Como evitar as lesões no Jiu Jitsu?

Como evitar as lesões no Jiu Jitsu?

gabriel-vella-armlock

Hoje trataremos aqui de um assunto muito corriqueiro no nosso universo do Jiu-Jitsu: as lesões. Veremos alguns aspectos que propiciam seu aparecimento e outros que ajudam a preveni-las.

A falta de aquecimento antes do treino é o primeiro fator facilitador de lesão. O aquecimento, como o próprio nome diz, serve para que nosso corpo seja preparado para uma atividade intensa, para que nossos músculos estejam “quentes” para a hora de lutar. Aquela malandragem de alguns atletas, que chegam ao treino no final do período de aquecimento para poupar energia para os treinos de luta, acaba sendo bastante prejudicial, pois a musculatura “fria” tende a sofrer distensões, contraturas e até mesmo rupturas pela falta de aquecimento prévio.

Não conhecer ou ignorar seus próprios limites físicos também facilita o surgimento de lesões. As pessoas têm níveis muito distintos de alongamento, força e elasticidade. Devemos sempre, ao executarmos as técnicas (principalmente aquelas que ainda não nos são familiares), proceder de modo cauteloso para que, assim, possamos adaptá-las ao nosso biótipo e treinarmos de maneira segura.

Outra característica propícia às lesões é a falta de cuidado com os companheiros de treino. Em toda equipe existe aquele atleta que treina como se estivesse competindo, em um ritmo muito acelerado e destoante da maioria dos parceiros de treino. Essa situação pode causar lesões justamente pela diferença de intensidade entre os parceiros, durante principalmente a aplicação de técnicas de finalização, que é o momento onde o lutador faz aquela “força” final para encerrar o combate. O treino deve ser inteligente antes de ser intenso. Sempre.

O orgulho pode machucar você, tome muito cuidado!

É público e notório que ninguém vai treinar esperando ser finalizado em todas as lutas. Vamos treinar para tentar executar da melhor maneira possível as técnicas que aprendemos, mas sofrer um estrangulamento ou uma chave de braço é bem comum e nunca vai ser demérito para ninguém. Portanto, aquele orgulho pouco inteligente de resistir a um golpe sem nem mesmo tentar a defesa correta pode fazer com que o atleta fique meses afastado dos treinos pela lesão decorrente desse comportamento.

O professor também deve observar bem seus alunos ao casar as duplas para rolar. Diferenças muito grandes de peso, diferenças muito grandes de faixa etária, iniciante com iniciante, competidor com não-competidor, são alguns casamentos de duplas que podem render contusões e prejudicar a rotina de treinos da equipe. O ideal é que quando o objetivo dos treinos for exatamente treinar com essas diferenças, que seja feito com a presença dos alunos mais graduados, que saberão manobrar o desenrolar das lutas de modo mais seguro.

Por fim, um ambiente inseguro também pode ser muito perigoso para a integridade física dos atletas. Academias com tatames em condições ruins de conservação e higiene, salas apertadas com muitos alunos, presença de janelas e vidraças próximas ao dojô e falta de áreas de circulação ao redor do tatame representam riscos reais de lesões aos alunos. É sempre importante que as condições da academia sejam observadas e as soluções cobradas da administração, que muitas vezes não tem a participação dos professores.

Diante de todos esses aspectos, a atenção é fundamental para evitarmos lesões que nos afastem do nosso esporte, da nossa Arte Suave.

Hora de treinar, até a próxima!

Oss

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com