Home / Colunas / Coluna “Jiu Jitsu aos 40”: Ou “Filhote de panda no liquidificador aumenta o gás?”

Coluna “Jiu Jitsu aos 40”: Ou “Filhote de panda no liquidificador aumenta o gás?”

Um dos aspectos que exprime a passagem do tempo com maior exatidão é o sentimento de nostalgia. De fato, quanto mais envelhecemos, temos a tendência a sentir uma saudade atroz de várias coisas que fizeram parte das nossas vidas. Uma música, uma comida, a lembrança de um momento feliz, tem o condão de nos fazer viajar no tempo como Marty McFly e seu DeLorean, e nos deixam com uma sensação agridoce de que as coisas no passado eram bem melhores.

Preciso refletir com meus botões muito pouco para cravar com 100% de convicção: nada me deixa mais nostálgico do que os anos em que eu podia  comer como um urso do Alasca e não engordava um mísero grama. Pagaria fácil 10 milhões de dólares, se eu os tivesse, para voltar a ter a mesma capacidade. Perder peso era uma facilidade, e se fosse preciso, 5 kg íam embora num piscar de olhos. Hoje, só cortando um braço, ou com uma dieta bem orientada. Poucas coisas na vida são mais torturantes para o lutador do que fazer uma restrição de alimentos para bater o peso nos campeonatos e se encaixar em determinada categoria.

Para piorar, a maioria das pessoas parece não entender que você não pode comer; vou visitar minha avó e toda vez preciso pedir para ela parar de oferecer comida, caso contrário ela vem com todo tipo de tentação gastronômica, que só um monge teria força de vontade para resistir. Você sai com os amigos na época pré competição e te olham como se você tivesse acabado de bater um filhote de panda no liquidificador, quando pede ao garçom uma salada e suco sem açúcar. E te perguntam, com mal disfarçado espanto: Para que isso???

Bem, a resposta é simples: não há mais espaço para amadorismo, e diferentemente dos anos 90 e início dos 2000, onde a maioria competia até que precisasse trabalhar, estudar ou formar uma família, hoje já é possível encontrar muitos faixas azuis juvenis que vivem do jiu-jitsu e planejam ter a luta como profissão. E esse profissionalismo chegou até a categoria dos coroas. Você vai aos campeonatos e as chaves estão lotadas, com as inscrições se encerrando bem antes do prazo final. A disputa pelo ouro é mais acirrada que uma dividida entre Felipe Melo e Júnior Baiano.

Dessa forma, todo pequeno detalhe conta. Sabe aquele papo dos nutricionistas de que a dieta é a parte mais importante para o seu bom desempenho nos treinos? É totalmente incontestável. A dieta é um diferencial importantíssimo, não apenas para o corte de peso. Quando você tem 20 anos, dá para comer todo tipo de porcarias e treinar como se não houvesse amanhã, mas aos 40, tudo tem que ser bem regrado e planejado. Uma barrinha de chocolate faz você engordar 6kg em poucos minutos.

E sabe aquela outra conversa, universal nas academias, de que tem alguns campeões mundiais que tomam coca cola e se empanturram de hambúrguer com sorvete todos os dias e ainda assim conseguem lutar como centauros, escoiceando sem parar por 10 minutos? Pois bem vou contar uma novidade, que pode parecer absurda:

Você não é um desses caras.

Ninguém é. Minha teoria é que eles foram montados por algum projeto militar secreto com partes de guerreiros que já morreram. Ou vieram de Kripton, para se refugiar no nosso sol amarelo, entraram numa academia de jiu-jitsu e resolveram competir.

Ou seja, uma dieta bem feita, necessariamente por um profissional qualificado, é algo mandatório, não é opcional. Isso se você quiser ter chances mínimas de ganhar alguma coisa. Nas horas mais difíceis, quando comer aquela salada parece quase impossível, eu penso que nem todo chocolate do mundo (sim, sou muito viciado) vale a glória de ter a mão levantada pelo juiz no final da luta. Se você já teve, sabe do que eu estou falando.

Faltam 39 dias.

***

Releia as colunas anteriores da série “Jiu Jitsu aos 40”:

Coluna 1 – Até que esse coroa é duro hein

Coluna 2 – Alô, é da casa do leão sem dentes?

Coluna 3 – Garçom, me traz um elefante!

Coluna 4 – Caindo pra dentro de 1000 Godzilas

Coluna 5 – Atropelado por um Bulldozer

***

Fábio de Jesus

Me segue lá no Instagram para acompanhar essa jornada no dia a dia: @jiujitsuaos40 !

 

  • Janaina Giovanetti de Andrade

    E eu estou sempre torcendo por sua mao erguida, pq conheco um pouco do seu esforco em manter-se em ordem tb. Sucesso!!!!!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com