Home / Colunas / Coluna do Dr. Thairon: O joelho estalou. E agora?

Coluna do Dr. Thairon: O joelho estalou. E agora?

A maioria dos estudos sobre lesão no jiu jistu, apontam o joelho ( juntamente ao cotovelo ) como a articulação mais lesada no esporte, podendo ser responsável por até 30% das lesões no esporte. Quando pensamos em lesões que realmente afastam o atleta do tatame, essa articulação se torna ainda mais importante, pois devido a grande dor, instabilidade e necessidade de repouso, muitas das lesões no joelho obrigam o atleta a parar os treinos por algum período. Em nosso dia a dia na academia, podemos perfeitamente constatar essa frequência em que o joelho aparece como o vilão do colega, afinal de contas, sempre aparece um amigo pedindo por um treino mais leve pois “deu uma estalada no joelho”.  Essas lesões podem atingir principalmente o ligamento colateral medial do joelho ( ” parte interna do joelho” ), meniscos ou o ligamento cruzado. Hoje falaremos a respeito das lesões do Ligamento Colateral Medial ( LCM).

ANATOMIA:

Os  ligamentos colaterais  encontra – se na parte lateral ( ˜de fora˜ ) e na medial (˜de dentro˜) esses ligamentos ligam o fêmur aos ossos da perna, a tíbia e a fíbula e a principal função deles é controlar o movimento lateral e medial do seu joelho e prevenir movimentos  que causem danos articulares.

 

ENTENDENDO A LESÃO :

O LCM classicamente  é lesado no movimento de  “valgizaçao”, ou seja, quando o joelho é dobrado para dentro  e o pé encontra – se apoiado ao solo, forçando uma abertura da parte interna do joelho. No jiu jitsu essa lesão pode ocorre em diversos momentos de uma luta:

1- projeção: durante uma entrada de single leg

2- passagem de meia- guarda: cruzando o joelho para dentro tentando escapar o tornozelo preso entre as pernas do adversário

3- Guarda: Na De la Riva ou quando a perna do  “guardeiro” pode forçar o joelho do passador para dentro  ou quando o “guardeiro” inadivertidamente cruza a perna além da linha média do adversário, movimento ilegal por exatamente forçar a articulação do joelho.

4 – Chaves de joelho / tornozelo:  durante a tentativa de escapar das chaves, o atleta pode também torcer o joelho.

Modo clássico de lesão

 

CLASSIFICAÇÃO DA LESÃO:

Com na maioria das lesões ligamentares, classificamos em graus:

Grau 1 : O ligamento é levemente estirado numa entorse

Grau 2 :  Existe uma ruptura parcial do ligamento.

Grau 3  : ruptura completa do ligamento, tornando a articulação do joelho é instável

 

QUAIS OS SINTOMAS? 

A dor na região interna do  joelho pode estar acompanhada de inchaço sobre o local e hematoma ( coloração arroxeada ) por até duas semanas.

Ponto de dor no ligamento colateral medial

COMO  DIAGNOSTICAR ? 

O Exame físico detalhado do joelho feito por um ortopedista praticamente define o diagnóstico e a também avalia as outras estruturas do joelho que frequentemente podem estar lesadas em associação com o LCM (principalmente meniscos e ligamento cruzado).

Na urgência lançamos mão dos Raios-X, principalmente pra avaliar se existe ou não lesões ósseas associadas, que podem indicar uma lesão mais grave. 

Já em um segundo momento a ressonância magnética é o exame mais sensível para o diagnóstico pois identifica com mais precisão o local exato da lesão, a extensão e se há lesão das outras estruturas do joelho.

 

COMO TRATAR ?

Quem está acompanhando nossa coluna já está familiarizado com a regra mnemônica para tratar a fase imediata da maioria das entroses PRICE: Parar a atividade, Repouso, Ice – gelo local, Compressão local e Elevação do membro

As Órteses ( joelheiras ) articuladas protegem o joelho contra as forças laterais, permitindo a regeneração da lesão. Dependendo do nível de dor e instabilidade pode ser necessário imobilização mais rígida e uso de muletas para maior repouso do joelho.

A reabilitação com fisioterapia é fundamental para acelerar a analgesia ( controle da dor ) , redução do edema articular, cicatrização e exercícios de fortalecimento e equilíbrio muscular para um retorno sem dor e prevenindo novas lesões no mesmo local

Felizmente a necessidade de tratamento cirúrgico é raro nesse  tipo de lesão e fica reservada para as lesões de grau III, ou associadas as outras lesões do joelho que podem causar maior instabilidade e dor.

 

QUANDO POSSO RETORNAR AOS ESPORTES ?

O principal parâmetro para o retorno seguro é a melhora da dor ao forçar o joelho para dentro e geralmente  e a cicatrização do ligamento ocorre em torno de 6 a 8 semanas. O retorno deve ser gradual com atividades de posição, aquecimento e evoluindo semanalmente com rolas mais leves evitando inicialmente os movimentos que forçar o joelho para dentro e aumentando semanalmente a intensidade das atividades.

 

 

  • Vinicius Amancio

    Voltar ao esporte depois de uma lesão desse tipo como por exemplo: lesão ligamentar grau 3, necessita de uma equipe multidisciplinar. Para complementar o trabalho de retorno a atividade , foi esquecido pelo autor, é o acompanhamento do atleta/aluno com um preprador físico formado, para garantir que o retor o da atividade seja feita com uma carga de treinamento adequada, e assim evitar lesões ou re lesoes.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com