Home / Colunas / Cobrinha e as 18 lutas até o Super Grand Slam

Cobrinha e as 18 lutas até o Super Grand Slam

Com trinta e sete anos de idade, a maioria dos atletas já está direcionada a competir na categoria Master 2. Porém para um certo londrinense, a idade não parece ser um problema.  Rubens Charles Cobrinha desafia o tempo e continua a disputar campeonatos entre os adultos, com performances excelentes e quebrando recordes.

Em 2017, Cobrinha conseguiu um feito inédito no Jiu-Jitsu. O faixa-preta da Alliance conquistou o chamado “Super Grand Slam”, vencendo os quatro torneios majoritários da IBJJF, Europeu, Panamericano, Brasileiro e Mundial, e mais o título no ADCC. Traçando um paralelo com o tênis, o feito realizado por Cobrinha foi igual ao de Steffi Graf em 1988, quando a tenista alemã venceu no mesmo ano os torneios da WTA (Australian Open, Roland Garros, Wimbledon e US Open), derrotando ainda Gabriela Sabatini na final olímpica em Seul

Para chegar a esse feito inédito, Cobrinha realizou dezoito lutas no total. Enfrentou atletas bem mais novos, de gerações posteriores, travando combates duríssimos. O BJJForum traz uma retrospectiva de todos os campeonatos conquistados por Cobrinha em 2017 na sua ordem cronológica.

Europeu

No início do ano, o Pavilhão Multiusos de Odivelas foi palco do já tradicional Campeonato Europeu da IBJJF. Cobrinha conquistou o bicampeonato após realizar quatro lutas, vencendo três  por finalização. Na final, quando todos esperavam que houvesse um fechamento de categoria com Gianni Grippo, os dois subverteram a lógica e lutaram para definir o campeão. Cobrinha venceu o aluno de Marcelo Garcia por 5×0 e garantiu o ouro. Veja sua campanha:

Adversário Método Tempo
Nelson Teixeira Armlock 06:42
Alexandre Vieira Estrangulamento 06:12
Gabriel Marangoni Estrangulamento arco e flecha 06:24
Gianni Grippo Pontos: 5×0 10:00

Panamericano

Em março, o cenário foi a cidade de Irvine na Califórnia, sede do Panamericano. Cobrinha chegou ao campeonato com a missão de conquistar o tetracampeonato do evento, que já havia vencido em 2007,2008 e 2009.  Cobrinha realizou três lutas (Victor Genovesi abriu passagem na semifinal), venceu uma por pontos, finalizou outra e enfrentou Osvaldo Queixinho na final. Confira a campanha de Cobrinha no Pan:

Adversário Método Tempo
Brandon Walensky Pontos 10:00
Brian Mahecha Estrangulamento 04:22
Osvaldo Queixinho Pontos:  9×2 10:00

Brasileiro

O Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu era o único título que Cobrinha ainda não tinha em sua coleção. Foram três lutas até o ouro, onde finalizou as duas primeiras, João Humberto e Rodrigo Cardoso. A semifinal não aconteceu porque Kim Terra havia se contundido na luta anterior. Na final, Cobrinha venceu Rafael Mansur (Brotherhood) com duas raspagens e garantiu o ouro inédito. Veja a campanha de Cobrinha no Brasileiro.

Adversário Método Tempo
João Humberto Estrangulamento Luta não foi gravada
Rodrigo Cardoso Estrangulamento Luta não foi gravada
Rafael Mansur Pontos: 4×2 10:00

Mundial IBJJF

Após o bronze em 2016, Cobrinha veio para a “Pirâmide” disposto a apagar o revés no ano anterior e garantir o Grand Slam da IBJJF.

No entanto, a missão não foi nada fácil. As quatro lutas de Cobrinha foram bem parelhas. Por ser cabeça de chave, o atleta da Alliance fez sua primeira luta no domingo contra o coreano Wanki Chae, e venceu por uma vantagem a zero. Nas quartas e nas semis, Cobrinha travou duras batalhas contra Gilson Nunes, da Checkmat, e Shane Jammil-Hill, do Team Lloyd Irvin. Ambas as lutas terminaram empatadas e Cobrinha saiu vitorioso na decisão dos juízes.

Na final, Cobrinha enfrentou o atleta da BTT Leonardo Saggioro, que havia eliminado Márcio André, algoz de Cobrinha em 2016, nas quartas de final, e Gianni Grippo nas semis. O combate foi bem travado e Cobrinha saiu vencedor por duas vantagens contra uma de Saggioro, e sagrou-se pentacampeão mundial e vencedor do Grand Slam da IBJJF. Veja a campanha de Cobrinha até o título:

Adversário Método Tempo
Wanki Chae 1×0 nas vantagens 10:00
Gilson Nunes Decisão dos juízes 10:00
Shane Hill-taylor Decisão dos juízes 10:00
Leonardo Saggioro 2×1 nas vantagens 10:00

ADCC

De todos os campeonatos, o ADCC é considerado pela maioria dos competidores como o mais complicado no quesito preparação. Ter que bater 66 quilos três dias seguidos é um processo complicado para qualquer lutador, ainda mais quando já não se é mais garoto. Porém Cobrinha venceu essa barreira e fez história na Finlândia conquistando o seu tricampeonato consecutivo no ADCC (2013/2015/2017).

Para chegar até a final, Cobrinha fez duas lutas no sábado. Nas oitavas de final, venceu Uranov Zhakshylyk por três a zero e nas quartas de final, derrotou Kuba Witkowski com um armlock. No domingo, Cobrinha venceu Paulo Miyao nas semifinais e na grande final, derrotou AJ Agazarm da Gracie Barra por 3×0 e garantiu além do tricampeonato do ADCC, o feito de ter sido o único atleta a vencer o Super Grand Slam do Jiu-Jitsu. Veja a campanha vitoriosa de Cobrinha no ADCC.

Adversário Método Tempo
Uranov Zhakshylyk 3×0 10:00
Kuba Witkowski Armlock 05:10
Paulo Miyao 0x0 (Paulo sofreu uma punição por puxar para a guarda) 15:00
AJ Agazarm 3×0 20:00

 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com