Home / Destaques / Campeão absoluto, Lucas Hulk analisa campanha no Las Vegas Open

Campeão absoluto, Lucas Hulk analisa campanha no Las Vegas Open

Fonte: IBJJF / Facebook

Lucas Barbosa, o Hulk, foi o maior destaque do Las Vegas Open, encerrado no último fim de semana em Las Vegas, Nevada. O faixa-preta da Atos dominou o peso meio-pesado e o absoluto da competição ao vencer cinco lutas, sendo quatro por finalização.

Na disputa pelo ouro no absoluto, divisão aberta para todos os pesos, Lucas venceu o arisco Yan Lucas “Pica Pau”, faixa-preta da escola Ribeiro Jiu-Jitsu. A vitória veio através das vantagens.

“Eu sabia que o Yan era um atleta duro e venci nas vantagens. Coloquei meu jogo de queda em prática e quase consegui finalizar a luta em alguns momentos, mas ele se defendeu bem a tentativa de estrangulamento, ele é duro. Yan foi campeão mundial na faixa-marrom e já venceu atletas duros como, por exemplo, o Mahamed Aly, que a diferença de peso e tamanho são diferentes. Mas consegui aplicar meu jogo, tive momentos bons na luta e saí com a vitória”, diz Lucas, antes de opinar sobre sua campanha na competição da IBJJF.

“Eu cheguei de Abu Dhabi semana passada e ainda estava sentindo um pouco o fuso horário e treinei poucas vezes, acho que foram duas vezes antes do campeonato. Estava pensando em não lutar o Las Vegas, mas o André Galvão conversou comigo, me motivou e eu fui lutar. Ainda estava sentindo um pouco do jet lag, porém deu tudo certo no campeonato. Senti-me bem durante a competição e agora estou ajeitando o fuso horário”.

Bicampeão mundial sem kimono pela IBJJF na faixa-preta, Lucas almeja conquistar, enfim, o título mundial com kimono este ano, em junho, na Califórnia.

“Todos campeonatos que luto é uma prévia do Mundial e dos campeonatos grandes. Eu luto para ver meu desempenho e corrigir meus erros. É sempre bom lutar os opens da IBJJF pois, além de ganhar pontos para o ranking, tem um bom nível e dá para se preparar bem para os torneios maiores. Acho que faltava mais experiência para vencer o Mundial. Eu tenho somente um ano e meio de faixa-preta e a cada dia, a cada campeonato, estou aprendendo mais. Também estou treinando bastante com a galera da Atos e meu professor tem me ajudando muito. É preciso ter calma mesmo e treinar duro. Estou me sentido bem e acho que esse Mundial vai ser diferente”, conclui o campeão.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com