Home / Destaques / Bruno Bastos analisa crescimento do Jiu-Jitsu e fala dos treinos para o Europeu 2018

Bruno Bastos analisa crescimento do Jiu-Jitsu e fala dos treinos para o Europeu 2018

Figura emblemática no Jiu-Jitsu, Bruno Bastos é um dos professores mais respeitados na comunidade da arte suave. Aos 37 anos, o faixa-preta embarca para mais uma viagem recheada de seminários, sessões de treinamento e competição. No próximo fim de semana, dias 20 e 21 de janeiro, em Odivelas, Portugal, Bruno disputa o ouro na divisão master 2 pesadíssimo no Europeu da IBJJF.

Representante da Lead BJJ, Bruno aproveitou para analisar a categoria em disputa e contar o desejo de lutar o absoluto, divisão aberta para todos os pesos.

“A divisão está bem dura, como sempre. Só tem cara grande e forte, mas se for pra destacar alguém, destacaria o Antônio Henrique, da Roger Gracie Academy. Ninguém fala dele, mas tem excelente Jiu-Jitsu e já ganhou o absoluto. Quero lutar o absoluto também. Meu objetivo é chegar no limite e tomara que seja com duas medalhas douradas”, diz Bruno.

Assíduo competidor, Bruno Bastos comenta como passa as preciosas lições para os seus alunos em Midland, no Texas, e destrincha como foram os treinos finais para o Europeu.

“O principal é que o resultado de um campeonato não te define.  Jiu-Jitsu é muito mais que isso. Você, perdendo ou ganhando no domingo, vai amanhecer na segunda-feira e vai treinar normalmente, até porque ganhar um campeonato e ser campeão não significam a mesma coisa. Sobre o Europeu, é mais uma oportunidade muito boa de rever amigos e fazer novas amizades. Estou na Bulgária agora, na minha filial em Varna, cidade banhada com o mar Negro, para finalizar o treinamento do pessoal aqui. Eu mesmo não fiz camp, treinei com pouco volume, mas com alta intensidade. Eu tive dias de descanso, recuperando o corpo ainda do ano passado. Quero chegar 100% no Mundial Master. Óbvio, quero ganhar sempre”, detalha Bruno, antes de revelar as principais metas para sua carreira de atleta e seus planos como professor.

“Em 2017, levei três crianças para o Brasileiro da CBJJ e duas delas foram campeãs. Até onde eu sei, é um fato inédito no Jiu-Jitsu: criança americana vencer o Brasileiro. Mas deu mídia. Eu tenho uma safra de adolescentes muito boa, com chances até de dar um troféu para a equipe no Mundial da IBJJF, se tudo der certo. Esse é um objetivo com certeza. Além disso, sempre foco no crescimento da academia. Vamos começar a trabalhar para crescer a associação também”.

Brunos Bastos, dono de uma academia de sucesso no Texas, também opinou sobre o crescimento do Jiu-Jitsu e como ele vê o esporte daqui a cinco anos.

“O Jiu-Jitsu está muito melhor em termos de oportunidade hoje do que antes. Você não tem que ser campeão mundial para viver de Jiu-Jitsu. Com isso, quem tem uma estrutura profissional melhor, acaba aproveitando melhor as oportunidades. Daqui a cinco anos, prevejo a Europa embolando com Brasil e Estados Unidos em qualidade de Jiu-Jitsu”, encerra Bruno.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com