Home / Colunas / Bola de Cristal / Bola de Cristal #15 – UFC 202

Bola de Cristal #15 – UFC 202

bola de cristal - ret

Embora as Olimpíadas estejam dominando o noticiário esportivo nas últimas duas semanas, e até mesmo a estrela do próximo evento Conor McGregor tenha se inspirado nos arremessos do atletismo e praticado lançamento de garrafas a distância numa confusão sem precedentes em entrevistas coletivas, nossos colunistas não esqueceram dos leitores e como eu sempre digo: “Onde tem UFC tem a nossa Bola de Cristal dizendo o que acontecerá no evento”. Então nossos colunistas André “Bicudo” Barbosa e Luiz Guilherme Mourão mais uma vez vêm contar o que eles esperam desse evento:

Conor McGregor x Nate Diaz

André “Bicudo” Barbosa – Falem o que quiser, eu estou sim na pegada de ver esse combate. Na verdade, uma luta improvável e regada a loucuras como essa, tende a me empolgar bastante. Creio que estamos prestes a presenciar mais um grande show de luta, como foi o primeiro confronto entre os dois. Difícil prever o desfecho desta luta mas fico tentado a acreditar que o Conor, como atleta acima da média que é, não viria para uma revanche como essa apresentando as mesmas falhas que o levaram a derrota na primeira luta. Já o Nate… bom, o Nate é o Nate, aquele que entra pra lutar aonde o combate o levar e sempre com a capacidade de nos surpreender a qualquer momento, seja pro lado positivo ou pro negativo. Dito isso, vou ficar com a vingança do McGregor por KO no primeiro round.

Luiz Guilherme Mourão – Nessa revanche espero um McGregor mais cauteloso, tentando dosar o cardio. A vitória na primeira luta foi de Nate muito mais pelo fato do irlandês  ter morrido no gás, mostrando que não se adaptou ao peso. Vamos lembrar do primeiro round, onde foi praticamente uma seção de sparing de McGregor. Então acredito que Conor tem mais armas para vencer, mas vejo uma luta totalmente aberta ainda mais levando em conta o nível de jiu jitsu defensivo apresentado por McGregor em contraste a qualidade de Nate e o seu excelente cardio. Em uma luta dura, Conor novamente irá começar melhor, mas sucumbirá na segunda metade da luta. Nate Diaz vence por finalização no quarto round.

Anthony Johnson x Glover Teixeira

André “Bicudo” Barbosa – Talvez a luta mais difícil pra apostar nesse card. Temos claramente duas frentes para escolher aqui: uma vitória do Glover por decisão em um combate onde ele consiga dominar as quedas e o jogo de chão, minando o gás do AJ, ou uma tentativa de homicídio rápida por parte do Rumble logo no primeiro round, e com requintes de tortura. Caros amigos, escolham cara-ou-coroa, joguem sua moedinha para o alto e decidam aí. Já fizeram isso? Eu fiz, e vou de Rumble por KO brutal no 1º round.

Luiz Guilherme Mourão – Uma das lutas mais aguardadas por mim no ano. Nessa disputa pela chance de disputar o cinturão, de um lado temos um dos maiores animais do MMA, Anthony Johnson e do outro lado um ogro, Glover Teixeira. Numa luta de 5 rounds eu daria favoritismo ao brasileiro, mas sendo de 3 rounds a balança tende para o americano. O caminho para Glover é aguentar a pressão inicial de Anthony Johnson (sobrevivendo a um nocaute), e a partir do segundo round tentar virar a luta utilizando seu excelente grappling. Acredito que o americano vai tentar dosar o ritmo, para não cansar rápido e tentar levar os 2 primeiros rounds, para de certa forma garantir a vitória por pontos. Não acredito em nocaute de nenhum dos dois lados (se tiver será do americano no começo da luta), acredito na chance de Glover finalizar, mas creio que a maior possibilidade é de termos uma luta sendo decidida por pontos. Jogando a moeda por alto fico com o brasileiro. Glover Teixeira vence por finalização no 3º round. 

Donald Cerrone x Rick Story

André “Bicudo” Barbosa –  Aqui podemos sim ter um lutão. Claro que tudo vai depender do parceiro de dança do nosso Cowboy, que dificilmente decepciona em seus combates. Vejo este como uma luta de difícil prognóstico e que vai depender de muitos detalhes para que qualquer um dos dois chegue a vitória. Com uma vontade enorme de ficar em cima do muro, vou escolher uma vitória do Cerrone por finalização no terceiro round.

Luiz Guilherme Mourão – Um confronto onde Rick Story tentará utilizar o jogo de pressão no clinch, fazendo Cerrone anda para trás e Cerrone tentará se valer de sua melhor trocação. Acredito que Story deverá conseguir ter sucesso, mas tem que ficar ligado nos leques que Cerrone têm no jiu jitsu, além da excelente trocação. Rick Story vence por decisão.

Cody Garbrandt x Takeya Mizugaki

André “Bicudo” Barbosa – Apesar de todo o hype, acho que essa é a primeira vez que o Cody entra em luta como favorito dentro do UFC e vai ser interessante observar como ele vai se comportar tendo essa pressão. E o favoritismo não é pouco.  Realmente o japonês é muito azarão e a chave para ele vencer essa luta é colocar o americano pra baixo, tarefa bem ingrata. Não tem como remar contra a maré nessa, vou de Garbrandt por KO ainda no 1º round

Luiz Guilherme Mourão – Cody Garbrandt vem de uma excelente e expressiva vitória sobre o brasileiro Thomas Almeida e agora pega um duro Mizugaki. Vejo Garbrandt muito favorito e deverá levar mais um nocaute para casa. Cody Garbrandt vence por nocaute no segundo round

Lorenz Larkin x Neil Magny

André “Bicudo” Barbosa –  Uma luta que no papel parece ser muito boa, com dois nomes emergentes dentro da divisão dos meio-médios. Na prática ela não deve ser tão atraente assim. Consciente de que vai enfrentar um striker superior, e com bastante poder de nocaute, o “MagnyFíco” deve buscar a queda desde o início e partir pra uma finalização ou, até mesmo, uma tranquila vitória nas papeletas. A chance do Larkin é pressionar desde o início e liquidar a fatura rápido com algum golpe contundente. Só que levando em consideração e a calma do Magny para lutar, sua disciplina tática e seu poder de absorção aos golpes, realmente as chances do Larkin reduzem bastante. Eu vou na lógica, fico com Magny por decisão unânime

Luiz Guilherme Mourão – Uma luta onde vejo Neil Magny muito favorito. Larkin é um bom lutador, mas não deverá ser páreo para Magny nem na trocação que é seu forte. Magny deve escolher onde a lutar vai transcorrer, e caso a luta aperte na trocação, ele pode derrubar e fazer o seu eficiente jogo de ground and pound. Neil Magny vence por decisão. 

About Jayme Mendes

Jayme Mendes, 33 anos. Fascinado por idiomas. Amante de quase todos os esportes mas praticante de nenhum deles. Adora dar seus pitacos e de vez em quando fazer uma fezinha nos resultados. Agora vai, eventualmente, fazer cosplay de colunista/tradutor.
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com