Home / Colunas / Arquivos Históricos / Baú do Jiu-Jitsu – Reportagem do Jornal O Globo sobre a Copa Company de Jiu-Jitsu com destaque para Rickson Gracie

Baú do Jiu-Jitsu – Reportagem do Jornal O Globo sobre a Copa Company de Jiu-Jitsu com destaque para Rickson Gracie

A Década de 80 foi de bastante efervescência no mundo do Jiu-Jitsu de competição. Muitas competições surgiram nessa época, com destaque para a Copa Company (Company era a principal surfwear carioca nos Anos 80), que era promovida em parceria com o Jornal O Globo.

O BJJFORUM revirou o acervo do Jornal O Globo e encontrou uma reportagem sobre a Quarta Copa Company – O Globo, que aconteceu no Ginásio do Fluminense Football Club, nas Laranjeiras. O destaque da competição ficou por conta de Rickson Gracie, que finalizou Joe Moreira na final. Nas faixas coloridas, destaque para Fábio Gurgel, então faixa-roxa.

Reportagem Jornal O Globo, 23 de Novembro de 1987, Matutina, Esportes, Página 8

Confirmando as previsões iniciais, o lutador Rickson Gracie foi o grande destaque da Quarta Copa Company – O Globo de Jiu-Jitsu, que teve as provas finais disputadas ontem no Ginásio do Fluminense. Gracie venceu as categorias meio-pesado e absoluto da faixa-preta, a mais avançada e técnica do esporte, mostrando a razão pela qual é considerado quase que imbatível no Jiu-Jitsu.

Como no sábado, as arquibancadas estiveram lotadas e o público foi brindado com disputas de alto nível técnico, fazendo com que, durante as finais, algumas lutas levassem os torcedores ao delirio. Pelo menos 36 lutadores, divididos pelas nove categorias das quatro faixas (azul,roxa marrom e preta) , foram premiados com a medalha de ouro.

De uma maneira geral, houve poucas surpresas no campeonato. Em uma delas, Roberto Traven (Academia Jacaré) interrompeu a série de vitórias de Amaury Bitetti (Academia Carlson Gracie) e venceu a categoria Meio-pesado. Mas a festa da Academia Jacaré não ficou por aí. Na luta seguinte, pela disputa do peso médio (faixa roxa), Fábio Gurgel, 21 anos, surpreendeu a todos e derrotou o favorito, Sérgio de Souza.

Na categoria pluma da faixa azul, José Alberto dos Santos (Carlson Gracie) e o pesadíssimo Cleiber Maia (Clube Gracie), foram os destaques. Já na marrom, Jean Jacques Machado (Gracie/Company) não evitou a “meia-raspada” desferida por Bráulio Carsalade (Carlson Gracie/Cantão) e perdeu a luta. Mas foi a faixa preta que despertou maior expectativa do público. Royler Gracie (Gracie/Vansport/Alface’s), ainda inconformado com a desistência de Ricardo De La Riva (Carlson Gracie), ” Ele vai ficar vivendo daquela vitória pro resto da vida”, disse, confirmou o favoritismo e venceu a categoria pena.

Na luta mais esperada da noite, o faixa preta meio-pesado Rickson Gracie (Gracie/Cantão) deu um show de técnica e determinação, derrotando José Carlos Moreira (Academia Atlântico Sul). Apesar do desequilíbrio técnico entre os dois lutadores, Rickson elogiou a atuação do Adversário:

A luta não foi tão fácil e só o fato dele não ter fugido da raia já prova as suas qualidades. Sigo uma tradição de mais de 60 anos da família e o Jiu-Jitsu é a minha própria vida. Não entro para perder.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com