Home / Colunas / Aquecimento – A Parte Mais Odiada do Treino de Jiu-Jitsu?

Aquecimento – A Parte Mais Odiada do Treino de Jiu-Jitsu?

As centenas de academias de Jiu-Jítsu ao redor do mundo têm opiniões diferentes sobre como seria o aquecimento ideal. Podendo variar desde uma sessão de exercícios pesados até um: “Ok, pessoal, cada um faça seu aquecimento”. Normalmente, as academias com aquecimento pesado tendem a ser voltadas para um viés de competição e veem cada parte da aula como um oportunidade de garantir que os competidores estão no ápice de seus condicionamentos.

Aquecimento – tópicos

No entanto a maioria dos estudantes não quer gastar o tempo de aula fazendo exercícios de condicionamento, dentre os principais motivos são:

1) Muitos alunos avançados e/ou competidores fazem sua própria preparação física em um horário separado da aula de Jiu-Jítsu e considera flexões, meio sugados e polichinelos um desperdício de energia e tempo preciosos. Se você já fez exercícios com kettlebells ou pesos no dia anterior, você realmente não precisa fazer 100 flexões no treino de Jiu-Jítsu. Na verdade, pode até ser prejudicial para o seu desempenho se você fizer tudo no mesmo dia.

2) Muitas academias de MMA têm aulas de Jiu-Jitsu como parte do seu currículo, mas o fato é que os lutadores já estão fazendo uma tonelada de treinos semanalmente. Lutadores de MMA também precisam praticar boxe ou muay thai, wrestling e sessões de preparação física, além do treino de Jiu-Jítsu. Eles não precisam fazer centenas de flexões e agachamentos. Eles estão na aula de Jiu-Jítsu para, pásmem, aprender Jiu-Jítsu.

3) Ele afasta o praticante por hobby. No final de um dia de trabalho, a ideia de se atirar no sofá e abrir o Netflix para uma maratona de episódios da sua série favorita acompanhados de uma deliciosa pizza é extremamente atraente comparada a uma aula de Jiu-Jítsu. E saber que vai fazer toneladas de exercícios pesados pode ser a diferença na decisão de ir para a aula ou ficar no sofá. Praticantes jovens que vivem somente para o Jiu-Jítsu podem até achar legal fazer exercícios pesados, mas o praticante comum quer apenas dar uma suada e aprender Jiu-Jítsu.

A Solução

Um aquecimento moderado, focado nos movimentos específicos do Jiu-Jítsu ou drills são a opção mais produtiva. Movimentos fundamentais como fuga de quadril e ponte são muito mais aplicáveis à realidade que o aluno vive. Praticar alguma passagem de guarda ou finalização é uma excelente forma de usar o aquecimento para melhorar seu Jiu-Jítsu. E os benefícios são tanto para o competidor como para o praticante comum. Isso também permite que a turma inteira faça o aquecimento junta, possibilitando que ambos façam o mesmo tipo de exercício diferenciando apenas na intensidade. O que vai beneficiar mais suas habilidades? Polichinelos ou fazer 20 repetições de uma passagem toreando?

A respeito de sobrecarga do sistema nervoso, aprender uma habilidade que requer movimento motor complexo (como a sequência de raspagem de guarda aranha variando para o triângulo) é melhor feito quando o aluno está aquecido, mas não esgotado.

Você aprende melhor quando você tem energia ou quando você está cansado de correr e saltar ao redor do tatame? Eu sei que eu prefiro não estar ofegante quando eu chegar à parte técnica da aula.

Este artigo é uma tradução livre de uma publicação do site bjj-usa.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com