Home / Competições / ACBJJ 11 – Davi Ramos derrota Edwin Najmi e se torna campeão na categoria até 75 kg

ACBJJ 11 – Davi Ramos derrota Edwin Najmi e se torna campeão na categoria até 75 kg

O Palau Olimpic de Badalona foi palco da décima primeira edição do ACBJJ, evento que reúne o que há de melhor no Jiu-Jitsu mundial. Na luta principal, Davi Ramos derrotou Edwin Najmi e se tornou o novo campeão do ACBJJ na categoria até 75 kg. No Co main event, Isaque Bahiense derrotou Otávio Sousa por três rounds a zero.

Os outros destaques ficaram para Rudson Matheus, que derrotou Mathias Ribeiro em 33 segundos com um armlock e Luan Carvalho que após uma atuação de gala nos dois primeiros rouds, finalizou o russo Daud Adaev com uma chave de pé. Confira os resultados das lutas do card do ACBJJ 11:

75 kg – Edwin Najmi (Gracie Barra) x Davi Ramos (Atos / Team Nogueira)

R1 0x2/R2 0x0/R3 0x0/R4 2×0/R5 0x0 – Vencedor: Davi Ramos na decisão dos juízes

No main event da noite, o atual campeão Edwin Najmi defendeu seu cinturão contra o desafiante Davi Ramos. Os atletas começaram o combate se estudando bastante. Davi puxou para a guarda, porém Edwin fintou um ataque no pescoço. Faltando dois minutos para o fim do round, Davi novamente puxou Edwin para a guarda, dessa vez ele chamou na 50×50. Davi raspou Edwin faltando 1:06 para terminar o round, abrindo 2×0 no placar. O restante do round seguiu e Davi abriu um round a zero de vantagem.

No segundo round,  Najmi voltou mais ativo e buscou mais as ações, porém faltando 3:20 para o fim do round, o americano quase foi raspado por Davi Ramos. A luta seguiu em pé e Edwin puxou para a guarda nos últimos dois minutos do round. Davi continuou imprimindo seu ritmo, enquanto Najmi buscava raspar partindo da guarda de lapela. O segundo round terminou 0x0.

No terceiro round, Davi começou mais uma vez dominando as ações e aos quarenta segundos quase quedou Edwin Najmi. Faltando 3:25 para terminar o round, Davi puxou para guarda e atacou um armlock bem justo que quase terminou a luta, porém Edwin foi resiliente e defendeu o ataque. Edwin teve dois pontos atribuídosa seu favor, porém eles foram retirados no final do round e o mesmo terminou empatado.

No quarto round,  os dois atletas ja demonstravam os primeiros sinais de cansaço. Os dois primeiros minutos foram de pouca combatividade e duas punições para cada lado. Davi se aproveitou do cansaço de Najmi e tentou quedar o aluno de Romulo Barral, que contratacou tentando a sua especialidade, o triângulo.  Davi fugiu com o golpe encaixado e Najmi recebeu os dois pontos. A luta voltou no meio e Najmi mais uma vez tentava fazer guarda, enquanto Davi se mantinha por cima. O round terminou com vitória de Najmi, que empatou a luta. Levando a decisão para o último assalto.

No último round,  os dois atletas buscaram o combate de forma cautelosa e o round caminhou sem muitas ações na primeira metade. Na segunda metade do round,  os dois atletas seguiram sem se expor e o round foi um pouco morno em relação aos anteriores. No último minuto, Edwin puxou para a guarda e quase raspou no final, porém a decisão final viria através dos juízes que deram a vitória para Davi Ramos.

85 kg – Otavio Sousa (Gracie Barra) x Isaque Bahiense (Alliance)

R1 0x2/R2 0x5/R3 4×6 – Vencedor: Isaque Bahiense por pontos

A penúltima luta do ACBJJ, Otávio Sousa e Isaque Bahiense reeditaram a final do Pan de 2017. No primeiro round, Isaque começou imprimindo um ritmo forte e conseguiu quedar Otávio, abrindo 2×0 no placar. Otávio colocou Isaque na guarda fechada e faltando 2:17 para o fim do primeiro round, o atleta da Gracie Barra quase raspou Bahiense.  Faltando 30 segundos para o fim da luta, Otavio tentou atacar o pescoço de Isaque que defendeu bem e garantiu o round.

No segundo round,  Isaque começou novamente imprimindo o ritmo e aos 30 segundos de luta, quedou novamente Otavio e abriu 2×0 no placar. Otavio tentava desestabilizar a base de Isaque para raspar, porém Isaque se mostrava bem postado e sempre atento aos ataques do adversário. Faltando 1:30 para terminar o round, Otavio tentou variar para a guarda de lapela, mas não obteve sucesso. Faltando quinze segundos para o fim do round, Isaque passou a guarda de Otávio e fechou o round com 5×0 a seu favor.

No último round, só a finalização interessava para Otávio. Porém mais uma vez, Isaque se antecipou a Otávio e realizou uma queda no primeiro minuto, abrindo 2×0 no placar novamente. Cabia a Otávio correr atrás de resultado, porém Isaque não dava brechas ao adversário. Porém faltando dois minutos para o fim do round, Otávio raspou Isaque e caiu na 50×50. Isaque devolveu a raspagem e Otávio empatou novamente, levando o placar para 4×4. Os dois seguiram em ataques nos pés simultaneamente e saíram da área de luta faltando 39 segundos para o fim do round. Mesmo com a vantagem no placar, Isaque não ficou na retranca e partiu para cima de Otavio, que puxou para a guarda fechada, tentando um último ataque, que não surtiu efeito. Isaque levou o terceiro orund por 6×4 e garantiu a vitória.

85 kg – Claudio Calasans (Atos) x Yan Cabral (Templum BCN / Associação Aranha)

R1 2×0/R2 6×0/R3 2×0 – Vencedor: Claudio Calasans por pontos

Na décima terceira luta da noite, duelo entre os experientes Cláudio Calasans e Yan Cabral.  Calasans começou o promeiro round dominando as ações e quedou Yan logo no primeiro minuto.  Calasans travou a luta por cima e impediu que Yan tentasse qualquer ataque de raspagem. O round continuou 2×0 até o final e a vantagem foi para Calasans.

No segundo round, Calasans novamente quedou no primeiro minuto e abriu vantagem de 2×0. O atleta da Atos quase conseguiu pegar as costas, porém os atletas saíram da área de luta e tiveram que voltar ao centro. Yan tentou puxar para guarda, porém Calasans imprimiu um ritmo forte e chegou até as costas de Yan, ampliando a vantagem para 6×0. Calasans seguiu atacando o pescoço de Yan, porém perdeu a posição faltando vinte segundos para o fim do round.

No terceiro round, Calasans novamente quedou Yan, que repôs a guarda e travou a lapela de Calasans. O round seguiu com Calasans impondo seu jogo e Yan limitando-se a defender. Com dois rounds garantidos e o terceiro na vantagem, Calasans manteve o ritmo e garantiu a vitória por pontos.

75 kg – Michael Langhi (Alliance) x Marcio André (Nova União)

R1 0x0/R2 0x0/R3 0x0- Vencedor: Michael Langhi na decisão dos juízes

Na décima segunda luta do evento,  Michael Langhi e Márcio André fizeram um combate que era bastante aguardado pelos fãs de Jiu-Jitsu. No primeiro round, Langhi puxou para a guarda aranha e conteve os avanços de Marcinho. Faltando dois minutos para o fim do round, Langhi quase conseguiu a raspagem. Márcio continuou exercendo pressão para passar a guarda de Langhi, porém o atleta da Alliance mostrou mais uma vez um ótimo jogo por baixo.

No segundo round, Marcio André puxou Langhi para a guarda laçada. Langhi tentou passar a guarda de Márcio, porém o atleta da Nova União dificultava as ações. Faltando 2:18 para terminar o round, Langhi passou a guarda e foi para as costas de Marcinho, tentou atacar braço e pescoço, porém Márcio André defendeu todos os ataques e saiu da posição de desvantagem. Faltando 40 segundos para o fim do round, Langhi quase raspou Marcinho com um ataque partindo da guarda aranha e faltando 10 segundos, Langhi tentou um triângulo, porém o tempo acabou e o round teimou em terminar 0x0.

No terceiro round, os dois atletas começaram se expondo pouco. Faltando 3:15 de luta, Langhi puxou para a guarda novamente e Marcinho tentou passar emborcando o atleta da Alliance.  A pressão de Marcinho seguiu até o final do round, porém como não houveram pontos em nenhum dos três rounds, a decisão seria pela mão dos juízes, que deram a vitória para Michael Langhi.

65 kg – Bruno Frazatto (Atos) x Gabriel Marangoni (Caio Terra)

R1 0x2/ R2 2×0/ R3 0x0 – Vencedor: Bruno Frazatto na decisão dos juízes

Na décima primeira luta da noite, Bruno Frazatto fazia a sua estreia no ACBJJ contra Gabriel Marangoni.  No primeiro round, Marangoni começou colocando Frazatto para baixo e abriu 2×0 no placar. Faltando três minutos de luta, Frazatto inverteu partindo da guarda laçada e foi para as costas de Marangoni com a mão na gola e com o estrangulamento engatilhado, porém Marangoni defendeu todas as tentativas e colocou Frazatto na guarda novamente (Como Frazatto não colocou os dois ganchos nas costas, ele não conseguiu os 4 pontos) e terminou o round com a vantagem de 2×0.

No segundo round, Frazatto puxou para guarda e esperou as ações de Marangoni para contratacar. Marangoni tomou as ações e Frazatto mantinha a defesa com uma guarda laçada e um gancho delariva com o controle da lapela de Marangoni. Faltando 40 segundos para o fim do round, Frazatto raspou Marangoni  e abriu 2×0 no placar, levando a decisão da luta para o último round.

No último round, os dois atletas começaram com uma postura mais conservadora, pois sabiam que qualquer erro seria fatal. Aos 3:50, Frazatto puxou para a guarda e Marangoni tentou passar toreando, porém Frazatto mostrou muita flexibilidade e defendeu o ataque. No decorrer do round, Frazatto continuou fazendo guarda, variando entre lapela, guarda aberta e guarda laçada. Faltando trinta segundos para o fim, Marangoni até tentou passar a guarda, porém não conseguiu. O round terminou empatado e a decisão foi para a mão dos juízes, que deram a vitória para Bruno Frazatto que se mostrou mais ativo com uma guarda bastante ofensiva.

Até 75 kg – Lucas Rocha (ZR Team) x Alex Cabanes (Atos Jiu-Jitsu)

R1 0x0/R2 2×2 /R3 0x0 – Vencedor: Lucas Rocha na decisão dos juízes

Na décima luta da noite, Lucas Rocha enfrentou o espanhol Alex Cabanes e começou a luta puxando para a guarda fechada. Cabanes abriu a guarda de Lucas, porém o Brasileiro trouxe o espanhol para a guarda de lapela. Nos segundos finais do round, Lucas Rocha tentou atacar uma chave de pé que quase surpreendeu Cabanes, porém o round acabou e o resultado foi 0x0.

No segundo round,  os dois atletas se estudaram e trocaram ataques em pé. Aos 3:40, Cabanes puxou para a meia guarda e Lucas tentou passar e Cabanes colocou o brasileiro na 50 x 50. Os dois trocaram ataques no pé e tentaram subir para conseguir os dois pontos. Faltando 20 segundos para terminar o round, Lucas subiu para empatar o round e quase passar a guarda de Cabanes, que resistiu bravamente e manteve o round empatado em 2×2, levando a decisão para o último assalto.

No terceiro round,  os dois atletas não se expuseram muito na primeira metade do round e só soltaram o jogo a partir da segunda metade. Alex Cabanes puxou para a guarda e quase foi pras costas com um berimbolo. A luta seguiu e Cabanes voltou para a posição de guarda fechada e com a mão na gola, impedindo Lucas de avançar. A luta se desenrolou assim no final, com Lucas quase passando a guarda de Cabanes, porém como na estabilizou a posição de cem quilos, os pontos não foram concedidos e o round mais uma vez terminou empatado e a decisão foi para a mão dos juízes que deram a vitória para Lucas Rocha.

Até 85 kg – Mathias Ribeiro (Mathias Ribeiro BJJ)  x Rudson Matheus (Caio Terra)

R1/R2/R3 – Vencedor: Rudson Matheus por finalização (Armlock)

Na nona luta da noite, o brasileiro radicado em Madri, Mathias Ribeiro enfrentou o talentoso faixa preta da nova geração, Rudson Matheus. Rudson não tomou conehcimento de Mathias e finalizou a luta com um armlock aos 33 segundos de luta.

Acima de 95 kg – Victor Honorio (Qatar BJJ) x Erberth Santos (Esquadrão de Jiu-Jitsu Brasileiro)

R1 0x0 / R2 0x0/ R3 0x0 – Vencedor: Victor Honório por decisão dos juízes

Na oitava luta da noite, Victor Honório e Erberth Santos fizeram um dos duelos mais esperados do evento. Adversários antigos,  os dois começaram a luta trocando pegadas em pé e se estudando. Os dois seguiram assim até a metade do round.  Honório avançou nas iniciativas de queda, enquanto Erberth tentava fazer sua queda característica de manga e gola.  O round se desenrolou em pé e terminou 0x0.

No segundo round,  os dois atletas continuaram em pé, com Honório avançando e tomando a iniciativa para quedar Erberth. Faltando 3:40, Honório quase conseguiu um Seoi Nage em Erberth. Na volta para o meio da área de luta, Honório atacou novamente Erberth, que defendeu bem dessa vez. O round continuou com Honório avançando em pé e Erberth se limitando a defender as tentativas de Honório. O round terminou empatado novamente em 0x0, mas Honório teve mais momentos positivos que Erberth na luta.

O último round seguiu a tônica dos outros dois primeiros, Honório avançando em pé e Erberth se limitando a defender as investidas do adversário. Erberth até tentou atacar na metade final do terceiro round, mas Honório não deu brechas a ele. O round terminou 0x0 e a decisão foi para a mão dos juízes que deram a vitória para Victor Honório.

75 kg – Daud Adaev (Checkmat) x Luan Carvalho (Nova União)

R1 0 x 5  / R2 0 x 10 /R3 — Vencedor: Luan Carvalho venceu por finalização (Chave de pé)

Na sétima luta da noite, Daud Adaev e Luan Carvalho fizeram o confronto Russia x Brasil. Luan iniciou tomando as ações em pé e tentando aplicar quedas em Adaev. Em seguida, o atleta da Nova União puxou o rusos para a guarda fechada e raspou de omoplata. Adaev repôs a guarda, porém Luan passou e foi para a posição de cem quilos, abrindo 5×0 no placar e faturando o primeiro round.

No segundo round,  Luan quedou Adaev e passou a guarda, abrindo novamente 5×0 no placar.  A partir daí, Luan tentou aplicar um estrangulamento de lapela, porém Adaev conseguiu defender e inverteu a posição, caindo na meia guarda de Luan, todavia o russo não conseguiu capitalizar essa ação e Luan novamente inverteu a posição, caindo na lateral do russo e atacando novamente o pescoço com um estrangulamento de lapela. Com 7×0 no placar, Luan trabalhou por cima no último minuto e defendeu as tentativas de ataque do russo, passando a sua guarda novamente e fechando o round em 10×0.

No último round, Daud Adaev precisava finalizar para vencer a luta e Luan já tinha uma larga vantagem nos pontos. Luan puxou para a guarda fechada e raspou Adaev com o domínio do pé. Após a raspagem, Luan atacou o russo com uma americana no pé e finalizou a luta. Foi a primeira finalização da noite.

Até 85 kg – AJ Sousa (GFTEAM) x Arnaldo Maidana (Checkmat)

R1 6×2 / R2 9×0 / R3 – Vencedor: AJ Sousa por pontos

Na sexta luta da noite, AJ Sousa e Arnaldo Maidana começaram a luta se estudando, porém AJ deu uma ótima queda e caiu na posição de montada, abrindo 6×0 no primeiro round. O atleta da GFTEAM tentou liquidar a fatura, porém Arnaldo sobreviveu bem, repôs a guarda e raspou AJ de meia guarda, diminuindo o placar para 6×2. Os dois atletas voltaram em pé e Maidana puxou AJ para a 50 x 50, porém nao obteve êxito nos ataques e round terminou 6×2 para o americano,

No segundo round, AJ Sousa novamente quedou Arnaldo Maidana com um Ippon Seoi Nage e caiu na posição de cem quilos, abrindo 5×0 no placar. Maidana conseguiu repor a meia guarda, porém AJ passou a guarda e foi para as costas aplicando um estrangulamento arco e flecha que quase  terminou a luta, porém Maidana foi guerreiro e resistiu a pressão, colocando AJ na guarda novamente com o placar apontando 9×0 para o americano. No minuto final, Maidana tentou atacar estrangulamentos e armlocks da guarda fechada, porém AJ defendeu todas as tentativas e garantiu mais um round para a conta.

No último round, Maidana só tinha a opção de finalizar para levar a luta, enquanto AJ poderia adotar uma postura mais conservadora. Ao puxar pra guarda, Maidana tomou um passa-pé de AJ que garantiu 2×0 para o americano, dificultando ainda mais a vida do brasileiro no combate. Maidana raspou AJ faltando 1:40 para terminar o round tentou ir para a leglock, porém AJ defendeu o ataque e a luta voltou em pé. Nos trinta segundos finais, Maidana tentou um ataque de guarda, porém AJ apenas esperou o tempo passar para garantir a vitória por dois rounds a zero.

Acima de 95 kg – Vinny Magalhaes (Vinny Magalhaes BJJ) x Moku Kahawai (Beyond Jiu-jitsu)

R1 0x0/ R2 0x0 / R3 – Vencedor: Moku Kahawai na decisão dos juízes

Na quinta luta da noite, o experiente Vinny Magalhaes enfrentou o havaiano Moku Kahawai. Os dois atletas começaram se estudando em pé e não se expuseram muito. Na metade final do round, Vinny puxou pra guarda fechada e tentou atacar um omoplata partindo da rubber guard, porém o havaiano defendeu o ataque e o round terminou 0x0.

No segundo round,  os dois atletas começaram se estudando novamente até tomarem a punição. Após a punição, Vinny puxou para a gurda aberta, porém Moku Kahawai tentou passar e foi até a lateral de Vinny, que virou de quatro apoios. O havaiano tentou pegar as costas e Vinny defendeu e ficou por cima quando Moku fechou a guarda. Vinny chegou até a meia guarda, porém Moku fez uma transição para a guarda x e quase raspou o brasileiro duas vezes. Ao final dos ataques, Moku tentou uma chave de pé reta, porém o tempo acabou e o round terminou empatado novamente.

No último round, os dois atletas trocaram pegadas em pé e Moku Kahawai quase quedou Vinny com um Sasae tsurikomi ashi, mas Vinny defendeu o ataque. Após um período de falta de combatividade e duplas punições, Vinny pulou e trouxe Moku Kahawai para a guarda fechada. O Havaiano fez postura para evitar os ataques de Vinny e em seguida tomou a iniciativa para passar a guarda de Vinny que se limitava a conter a pressão do havaiano por cima. O terceiro round terminou com o havaiano quase alcançando a lateral de Vinny. Como os três rounds terminaram empatados, a decisão foi para a mão dos juízes, que deram a vitória para Moku Kahawai.

65 kg – Kim Terra (Caio Terra) x Isaac Doederlein (Alliance)

R1 6×4 / R2 0x4 / R3 4×4 – Vencedor: Isaac Doederlein na decisão dos juízes.

Na quarta luta da noite, Kim Terra enfrentou o aluno de Rubens Charles Cobrinha, Isaac Doederlein. Kim tomou as ações e quedou Doerderlein, conseguindo abrir dois a zero. A luta voltou em pé após sair da área de luta e Doederlein puxou Kim Terra para a guarda e tentou ir para as costas, Kim defendeu e subiu, abrindo 4×0 no round.  Em seguida, Kim tentou atacar uma leglock e Doederlein colocou Kim na fifty, raspando o brasileiro, que em seguida devolveu e abriu 6×2 no placar. Isaac subiu novamente no final do round e diminuiu o placar para 6×4.

No segundo round,  Kim tentou quedar Doederlein duas vezes, porém sem sucesso. Em seguida, Kim puxou para a meia guarda,com a lapela de Doederlein dominada. porém Doerdelin escapou do domínio de Kim e foi para as costas, abrindo 4×0 no round.  Porém Isaac perdeu a posição ao tentar atacar um armlock, e Kim se defendeu e colocou o adversário na 50×50 e assim continuou até o final do round.

No último round, Kim começou tentando quedar e conseguiu os dois pontos, porém Doederlein raspou e empatou a contenda. Os dois ficaramna 50×50 e Kim conseguiu raspar, abrindo 4×2 no placar, entretanto Doederlein devolveu a raspagem e empatou o round. Doederlein escapou da fifty e tentou passar a guarda de Kim, que tentou raspar e Doederlein contratacou indo para o crucifixo e tentando a kimura dessa posição. O round terminou empatado e como cada um havia vencido um round, a decisão foi para a mão dos juízes que deram a vitória para Isaac Doederlein.

60 kg – Samir Chantre (ARES BJJ) x Laércio Fernandes (Alliance)

R1 2×0/R2 0x0/R3 – 2×2 – Vencedor: Samir Chantre por pontos

Na terceira luta da noite, Samir Chantre enfrentou o experiente Laércio Fernandes. Em um primeiro round de bastante estudo entre os atletas, Samir puxou para a meia guarda e com um leg drag, colocou Laércio na 50×50. Os dois ficaram trocando pegadas até o final do round,  e Samir conseguiu a raspagem no final, fazendo 2-0 e levando o round.

No segundo round, Laércio puxou para guarda e quase raspou Samir na metade round. Laércio continuou fazendo guarda e quase raspou Samir novamente em uma variação da guarda laçada. Samir continuou tentando passar, porém o round terminou empatado.

No último round, Laércio precisava finalizar e tomou a iniciativa puxando para guarda com uma pegada na manga e um gancho delariva encaixado. Os dois atletas se embolaram e caíram na 50×50. Como Laércio ficou por cima, ele ganhou os dois pontos. Samir ficou por baixo fazendo guarda de lapela e devolveu a raspagem, empatando o round em 2×2 e garantindo a vitória.

60 kg – Tomoyuki Hashimoto (Carpe Diem) x Mayko Araújo (Checkmat)

R1 10 x 2 /R2 0x2/R3 2×0 – Vencedor: Tomoyuki Hashimoto por pontos

Tomoyuki Hashimoto e Mayko Araujo fizeram um duelo de gerações. No primeiro round, Mayko motou as ações em pé e tentou quedar o japonês duas vezes, porém foi Hashimoto que conseguiu quedar num contrataque e rapidamente foi para um ataque de estrangulamento “baseball” que foi defendido por Mayko. Hashimoto continuou a pressão por cima e após tentar um estrangulamento de lapela, conseguiu avançar para as costas e colocar os ganchos. Mayko conseguiu sair da posição e Hashimoto caiu fazendo guarda e raspou Mayko, fazendo assim 8-0. Ao tentar pegar as costas novamente, o japonês perdeu o domínio da posição e Mayko ficou por cima, porém o japonês raspou novamente, fazendo 10 a 0. No final do round, o brasileiro reagiu e raspou fazendo seus primeiros pontos no round.

No segundo round, Hashimoto começou por cima, tentando passar a guarda de Mayko Araújo, entretanto o atleta da Checkmat raspou no minuto final e garantiu o segundo round.

No último round, Mayko precisava de uma finalização para liquidar a luta, porém na metade do round, Hashimoto conseguiu a queda e controlou as ações por cima, sempre tentando passar a meia guarda com uma pegada justa na gola de Mayko, fintando um estrangulamento. Nos trinta segundos finais, Hashimoto administrou o resultado e saiu vitorioso por 2 rounds a 1.

75 kg – Rodrigo Caporal (Atos) x Marcelo “Lapela” Mafra (Checkmat)

R1: 2 x 2 / R2 0 x 4 / R3 0 x 0 – Vencedor: Marcelo Mafra por pontos

Na primeira luta da noite, Rodrigo Caporal e Marcelo Mafra travaram um embate bem disputado. No primeiro round, Mafra tomou as ações e fez 2-0 após uma inversão. No minuto final,  Rodrigo Caporal empatou com uma queda.

No segundo round, Mafra puxou para guarda fechada e Caporal tentou passar, porém o atleta da Checkamat conseguiu inverter a partir da Guarda X, pegando as costas e colocando os ganchos quando faltavam 1:15 para terminar o round e assim garantindo o 10-9 no segundo assalto.

No round final,  Mafra puxou para guarda duas vezes e quase raspou nas duas tentativas, todas elas partindo da posição de omoplata.  Faltando 1:20 para o fim do round, Rodrigo Caporal puxou para guarda para tentar finalizar, porém Marcelo Mafra impôs seu jogo e chegou na posição de meia guarda, finalizando o combate nessa posição e vencendo o duelo por um round a zero.

 

 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com