Home / Competições / ADCC 2019: Gordon Ryan conquista ouro duplo e André Galvão conquista o tetracampeonato

ADCC 2019: Gordon Ryan conquista ouro duplo e André Galvão conquista o tetracampeonato

Fotos: Mayara Munhos

Nesse domingo, o Anaheim Convention Center recebeu o último dia de competição do ADCC. Logo pela manhã, no horário da Califórnia, foram definidos os finalistas das sete categorias que compõem o evento. As três áreas de luta receberam os atletas qualificados para as semifinais, que mostraram um ritmo insano de Jiu-Jitsu com Wrestling.

Tivemos algumas surpresas, como a derrota de Marcus Buchecha (Checkmat) para Kaynan Duarte (Atos) e a derrota de Vinny Magalhães (10th Planet Jiu-Jitsu) para Vinicius Trator (Alliance), que entrou de última hora no evento.

Outro ponto que foi bastante polêmico foi a vitória de Nick Rodriguez (Team Renzo Gracie) sobre Roberto Cyborg (Fight Sports) na semifinal da categoria acima de 99 kg. Cyborg foi efetivo e defendeu todas as tentativas de quedas do americano, além de quase ter finalizado o Wrestler com um armlock, todavia, os juízes decidiram conferir a vitória para o companheiro de treinos de Gordon Ryan. Confira tudo que rolou no último dia de ADCC.

Absoluto: Gordon Ryan fatura Double Gold após vencer Marcus Buchecha

Gordon Ryan escreveu seu nome no hall de campões do absoluto do ADCC. O americano iniciou o absoluto de forma avassaladora e finalizou Pedro Marinho (Gracie Barra) com um mata-leão. Em seguida, Gordon enfrentou o seu companheiro de treinos Garry Tonon, e em um combate visivelmente combinado, finalizou o combate e avançou para a semifinal, onde iria enfrentar a surpresa do absoluto, Lachlan Giles (Absolute MMA), que vencera Kaynan Duarte (Atos) e Patrick Gaudio com o mesmo golpe, a temida chave de calcanhar.

Na semifinal, Ryan impôs seu jogo, reduziu os espaços de Giles e finalizou o combate com um mata-leão, avançando para a grande final contra Marcus Buchecha (Checkmat), que havia vencido Keith Krikorian (10th Planet Jiu-Jitsu), Tex Johnson (Unity) e Mahamed Aly (Team Lloyd Irvin) respectivamente.

Em um combate bastante estudado, Gordon Ryan puxou para guarda e no quarto minuto, raspou Buchecha partindo da guarda de gancho. Após isso, Buchecha conseguiu tirar Gordon da montada e a luta voltou em pé. Ainda durante o período em que os pontos não eram contabilizados, Gordon puxou Buchecha para a guarda e o combate seguiu assim até o final do tempo regulamentar.

No tempo extra, Buchecha conseguiu fazer uma pegada na guilhotina, porém no final, não conseguiu estabelecer uma posição de domínio, e Gordon Ryan ajeitou-se em posição de guarda para fintar os ataques. Após quatro minutos de passividade por parte de Buchecha, a mesa central assinalou uma punição para o atleta da Checkmat, que a partir daí tentou alguns ataques no pé, sem o ajuste necessário para levar perigo para um especialista no assunto. No minuto final, Buchecha partiu para uma blitz, mas Gordon neutralizou e garantiu o resultado vitorioso. Com o resultado, Gordon Ryan se consolida como um dos principais nomes do Grappling mundial.

Super-luta: André Galvão vence Felipe Preguiça e amplia seu recorde de vitórias em super-lutas do ADCC

Após trinta minutos intensos, onde os dois atletas deixaram tudo que tinham no tatame, André Galvão (Atos) venceu Felipe Preguiça (Gracie Barra) e se tornou o maior campeão de super-lutas do ADCC na história. Nesse ano, Galvão começou o combate com Preguiça tomando as ações e mostrando até uma certa rispidez nas trocas de pegadas. O combate continuou com o líder da Atos tomando a iniciativa e antes dos pontos serem contabilizados, André Galvão conseguiu aplicar uma queda em Preguiça que projetou o atleta da Gracie Barra contra a mesa central.

O combate continuou com Preguiça fazendo guarda e Galvão tentando passar, e assim se manteve até o fim do tempo regulamentar. No tempo extra, a luta voltou em pé e mais uma vez, Galvão aplicou uma queda que continuou do lado de fora da área de luta. Após estabilizar a posição, a mesa central assinalou dois pontos para o atleta da Atos, que controlou o combate diante de um Preguiça exausto por conta da intensidade do combate.

No fim, André Galvão se sagrou tetracampeão da super-luta do ADCC e prometeu voltar em 2021 para enfrentar Gordon Ryan, para buscar o pentacampeonato.

Acima de 99 kg – Kaynan Duarte controla Nick Rodriguez e conquista o título

O combate iniciou com os dois atletas trocando pegadas em pé, no quarto minuto, Kaynan aproveitou para puxar Nick Rodriguez e trabalhar o Jiu-Jitsu. E a superioridade técnica de Kaynan fez diferença e em uma tentativa de raspagem, o atleta da Atos pegou as costas de Nick Rodriguez, colocando três pontos de vantagem no placar.

A partir dai, o faixa preta de André Galvão apenas manteve o Wrestler sob o seu domínio e assim garantiu o ouro da categoria. Com o resultado, Kaynan escreve seu nome na história como um dos atletas que conquistaram no mesmo ano, Mundial da IBJJF e o ADCC.

Até 99 kg: Gordon Ryan confirma favoritismo e conquista o bicampeonato

Mostrando superioridade desde o primeiro minuto de luta, Gordon Ryan conseguiu aplicar duas quedas em Vinicius Trator e obteve várias posições de dominância durante o período em que os pontos não estavam sendo contabilizados. Após uma tentativa de raspagem de Trator, Gordon defendeu e realizou uma transição para as costas, concluindo o combate com uma mata-leão. Com o resultado, o norte-americano se sagra bicampeão do ADCC.

Até 88 kg: Sem dar brechas, Matheus Diniz vence Craig Jones e conquista o ouro

Matheus Diniz começou o combate colocando Craig Jones para o chão.  Após um longo período fazendo guarda fechada, Craig Jones levantou e voltou a trocar pegadas em pé com Matheus Diniz. Os dois seguiram nessa disputa durante o tempo regulamentar e o placar continuou zerado durante os vinte minutos. Na prorrogação, os dois atletas seguiram tentando disputar pegadas em pé.

No sexto minuto da prorrogação, Craig Jones tomou uma contraqueda de Matheus e viu o seu oponente abrir 2×0 no placar. Daí em diante, o faixa preta da Alliance apenas administrou a vantagem para conquistar o seu primeiro ouro no ADCC.

Até 77 kg: JT Torres conquista bicampeonato após finalizar Vagner Rocha

Em um combate que se desenrolou na maior parte do tempo em pé, Vagner Rocha (Fight Sports) e JT Torres (Atos) fizeram uma luta truncada. Em vários momentos da luta, Vagner provocava JT que não entrava na pilha do brasileiro.

Faltando três minutos para o final do combate, JT conseguiu uma queda e acabou a ação pegando as costas de Vagner Rocha, abrindo 3 x 0 no placar. Com o domínio da luta, JT manteve o domínio e finalizou Vagner Rocha, faturando o bicampeonato do ADCC.

Até 66 kg: Augusto Tanquinho vence Kennedy Maciel e conquista o título que faltava em sua vitoriosa carreira

Augusto Tanquinho e Kennedy Maciel começaram o combate com muito estudo e troca de pegadas na nuca. Durante os dez minutos iniciais, os dois atletas limitaram-se a fazer esse tipo de movimentação. Faltando trinta segundos para o final, Tanquinho conseguiu ir para as costas de Kennedy, abrindo 3 x 0 no placar. Com a vantagem no placar, o atleta do Soul Fighters neutralizou os ataques de calcanhar de Kennedy e marchou rumo ao seu primeiro título no ADCC.

Feminino acima de 60 kg: Sem surpresas, Gabi Garcia fatura o tetracampeonato

Gabi Garcia começou o combate colocando Carina Santi para baixo e impondo seu jogo. Explorando a sua vantagem física, Gabi dominou Carina e neutralizou todos os ataques de meia guarda e chave de pé.

No oitavo minuto de luta, a atleta da Alliance chegou nos cem quilos e finalizou o combate com uma americana, ampliando ainda mais o seu recorde no ADCC. Com o resultado, Gabi se torna tetracampeã do mair torneio de Submission do Mundo.

Feminino até 60 kg: Com um estilo finalizador, Bia Basílio derrota Ffion Davies

Em um combate intenso, Bia Basílio (Almeida Jiu-Jitsu) e Ffion Davies (ECJJA) soltaram o jogo e partiram para o ataque. Após uma movimentação bem executada, Bia saiu no pé de Ffion e finalizou com uma justíssima chave de pé, que obrigou a Britânica a bater. Com o resultado, Basílio conquista seu primeiro ouro no ADCC após ter sido prata na última edição do evento.