Home / Top News / Análise do Mundial IBJJF: as faixas pretas que farão a Pirâmide tremer

Análise do Mundial IBJJF: as faixas pretas que farão a Pirâmide tremer

Vai começar! Mais um ano, a Walter Pyramid, em Long Beach, recebe o campeonato mais aguardado da comunidade do jiu-jitsu.

A cada ano que passa, a categoria feminina fica ainda mais cheia e assim, podemos ver as promessas na faixa marrom chegando para dar aquela estreitada na escada.

Algumas atletas estão ausentes, como a Carina Santi (G13). A atual campeã brasileira e européia afirmou em suas redes sociais a ausência por conta de patrocínio. Ela lamentou não poder estar presente principalmente por estar entre as 10 do ranking que receberão uma homenagem no evento.

Outra baixa é Tayane Porfírio (Gracie Barra). Há poucas semanas, a atleta, que recentemente deixou a Alliance, testou positivo no exame de antidoping da USADA e por isso, foi suspensa de todas as competições da IBJJF durante quatro anos.

Pela primeira vez, a confederação vai premiar os atletas em dinheiro. A premiação é igual no masculino e no feminino, dependendo da quantidade de inscritos.

Vamos a uma breve análise das categorias na faixa preta.

Rikako Yuasa dominante na categoria galo. (Foto: IBJJF)

Peso-Galo

Atual campeã: Rikako Yasa – Paraestra Shinagawa

A categoria peso-galo é dominada pela japonesa Rikako Yasa desde 2015. No ano passado, ela bateu a italiana Serena Gabrielli (Flow) para ficar com o quarto mundial da sua carreira na faixa preta. As duas podem se encontrar novamente.

As brasileiras Thamires Aquino (GF Team) e Mayssa Bastos (GF Team) também estão na categoria. Thamires acabou na terceira colocação no ano passado enquanto Maysa, ainda na faixa marrom, ficou com o vice-campeonato no peso pluma, mas chega em seu primeiro mundial na faixa preta embalada de ouro no Europeu, Abu Dhabi World Pro e Pan Americano, além de ter batido na trave no Campeonato Brasileiro, ao ser derrotada por decisão dos árbitros na final, onde empatou com Dyna Rodrigues (Castro Team).

Outro destaque que está debutando na faixa preta é Juliane Wiggers (Alliance), que vem de um título mundial no ano passado, na faixa marrom. A aluna de Mario Reis, que agora divide o posto de faixa preta mulher com Monique Elias em Porto Alegre, venceu o título em todas as faixas.

Arantzazu Romero Pérez (CFC Team) também vem em busca do título inédito na faixa preta.

Amanda Monteiro conquistou o Pan deste ano (Foto: @amandamontbjj)

Peso-Pluma

Atual campeã: Amanda Monteiro – GF Team

Com 9 competidoras no total, Amanda Monteiro (GF Team) vem em busca da ‘dobradinha’, já com o título do Pan deste ano. Mas o muro está alto.

Talita Alencar (Alliance), que vem de uma desclassificação no Brasileiro por conta de uma vestimenta irregular, ficou com a medalha de prata no ano passado e pretende tirar o gosto amargo de 2018. Enquanto isso, a ‘rival’ Gezary Matuda (American Top Team), terceira colocada de 2018, também vem forte para o título.

De pena no ano passado, Tammi Mussumeci (Brasa CTA) vem nessa categoria em 2019. Para completar a chave, Liwia Gluchowska (Absolute MMA Australia), Kristina Sofia Barlaam (Brasa CTA), Rita Lynne (Gracie Humaita) e Saori Shibamoto (Tri-Force Jiu-Jitsu).

Uma grande baixa é a pupila de Léo Vieira, Gabriela Fechter (CheckMat). Embora ela esteja desbravando o mundo e beliscando muito ouro nos Opens da vida, ela anunciou em sua conta do Instagram que estará de fora, ainda que esteja inscrita.

Em seu primeiro ano de faixa preta, Ffion Davis está dando o que falar. Na foto, o título do Pan. (Foto: @ffioneira3)

Peso-Pena

Atual campeã: Karen Antunes – CheckMat

Apesar do ótimo momento vivido por Karen Antunes (CheckMat), atual campeã da categoria e segundo lugar no Europeu deste ano, de Bia Basílio (Almeida JJ – Atos), campeã do World Pro, do Brasileiro e terceira colocada no Pan-Americano (peso e absoluto) só nesse ano, uma ‘pedra no sapato’ tem tirado o sono das faixas pretas: a britânica Ffion Davies (ECJJA).

Dessa categoria, ela bateu Bia Basílio nas semifinais do Grand Slam de Londres (UAEJJF), venceu de Karen Antunes no Pan-Americano para ficar com o título e de quebra, se tornou a primeira europeia a vencer um Campeonato Brasileiro, estrangulando Ana Schimitt (Nova União) na final. Ou seja, boa parte dessa categoria já teve trabalho com Ffion, que levou o Europeu em cima de Gabriela Fetcher.

As pupilas de Letícia Ribeiro da Gracie Humaita, Larissa Campos e Talia Marie Vaughan, farão estreia na faixa preta após virem embaladas do título na faixa marrom no ano passado, respectivamente nos pesos pluma e leve.

Nathalie Ribeiro (CheckMat) vem embalada de alguns opens e também, do bronze no Europeu. E para completar a chave de 8 competidoras, Ariadne de Oliveira (Mestre Wilson JJ).

Bia Mesquita está pronta para mais um título mundial. (Foto: Lisa Albon)

Peso-Leve

Atual campeã: Bia Mesquita – Gracie Humaita

Não tem como não dizer que a atual campeã Bia Mesquita (Gracie Humaita) é favorita. Além de colecionar cinco títulos mundiais, ela carrega o ouro do World Pro e ouro duplo no Brasileiro deste ano. Mas a categoria tem 13 mulheres e, com elas, sua companheira de equipe Gabi McComb, que estreia de faixa preta no mundial.

Charlotte von Baumgarten (Alliance) também está aqui esse ano tentando esquecer o bronze do ano que passou e Jena Bishop representa a Alliance pela primeira vez este ano, após anunciar mudança da Gracie Humaita no final de 2018.

Erin Herle (Alliance International) está focada nos treinos de MMA, mas estará presente no Mundial esse ano e Mayra Mazza (Alliance International), que recebeu a faixa preta das mãos de Fábio Gurgel em dezembro, faz a estreia da nova graduação no torneio.

Também estreante na faixa preta, vem Nicole Sullivan (Atos), que ficou com a prata no Pan Americano deste ano após ter sido derrotada por McComb. Para deixar o bronze para trás,

Catherine Perret (CheckMat) está de volta – e embalada após duas vitórias no Fight2Win, uma delas contra Luana Alzugir.

Para completar a categoria: Lauriane Clarice (OCS JJ), Kristin Mikkelson (Brazil 021), Amandine Cathy (Gracie Humaita International), Erica Alicia (One Jiu-Jitsu USA) e April Parks (RCJ Machado).

A “Baby” no Pan-Americano deste ano. (Foto: IBJJF)

Peso-Médio

Atual campeã: Ana Carolina Vieira – GF Team

Com 9 competidoras no total, Ana Carolina Vieira (GF Team), a “Baby”, vem em busca do tricampeonato, além de estar embalada do ouro no Pan. Seguida de Baby, temos o pódio completo do ano passado: a vice-campeã Raquel Canuto (CheckMat) e as terceiras colocadas Renata Marinho (Alliance) e Samantha Cook (CheckMat), respectivamente vice-campeã e campeã europeia esse ano.

Surpresa na categoria: a old school Hall da Fama, Hannette Staack (Brazil 021). A última participação de Hannette no mundial foi em 2014, onde ela ficou em segundo lugar no meio pesado. No ano passado, ela competiu o Mundial da Sport Jiu-Jitsu International Federation (SJJIF) quatro anos depois de estar fora do cenário competitivo e fez uma luta contra Luiza Monteiro.

Campeã mundial na marrom ano passado, Jessica Swanson (Soul Fighters) luta pela primeira vez o mundial com a nova faixa, mas já vem carregada de um bronze no Pan Americano.

Para completar a categoria: Lenna M Dittrich (Fight Sports), Laura Elizabeth Hallock (CheckMat) e Melissa Davis (One Jiu-Jitsu USA).

Luiza Monteiro vem de meio-pesado esse ano. (Foto: @luizamonteirobjj)

Peso-Meio Pesado

Atual campeã: Claudia Doval – De La Riva JJ

Embalada dos títulos de Pan e Europeu, Luiza Monteiro (Atos) vem em busca de mais um Mundial, após bater na trave no ano passado contra Bia Mesquita e ficar com a prata duas categorias abaixo.

Luanna Alzuguir (Alliance), a pentacampeã mundial está de volta. Integrante do Hall da Fama da IBJJF, a última vez que a vimos dar show no Mundial foi em 2015, onde foi derrotada na final por Luiza Monteiro.

Campeã na faixa marrom no ano passado, Melissa Stricker (Zenith) está pronta para debutar na faixa preta e Maria Malyjasiak (Zenith), que bateu na trave ano passado, sendo derrotada por Claudia Doval na final, vem pronta para o ouro, carregando um double gold do mundial sem pano do ano passado e um bronze no Pan Ams desse ano.

Andressa Cintra (Gracie Barra), acabou em terceiro lugar no último mundial, mas também chega forte para mais um ano na faixa preta. Rafaela Maria Bertolot (GF Team) vem do título brasileiro ao bater Sábatha Laís (Ryan Gracie) na final.

A atleta da Ryan Gracie, porém, chegou nos Estadaos Unidos e foi barrada na imigração, o que a fez ser uma baixa nesta categoria.

Nathiely no Pan deste ano. (Foto: IBJJF)

Peso-Pesado

Atual campeã: Nathiely Karoline – Rodrigo Pinheiro JJ

Aqui temos a atual campeã peso e absoluto, Nathiely Karoline (Rodrigo Pinheiro JJ), que também levou o ouro na categoria do Pan Ams e ficou em segundo lugar no absoluto. Ela não sabe o que é perder um mundial na faixa preta desde sua estreia, em 2017, além de ter vindo do ouro na marrom em 2016. A final de Nathiely no Pan foi contra Talita “Treta” (Brotherhood), que não lutou o ano passado, mas que está pronta para uma possível revanche.

Izadora Cristina (Qatar BJJ) é uma que promete dar trabalho na categoria. Ela foi destaque por todas as faixas que passou e, em seu primeiro ano de faixa preta, estreando no brasileiro, perdeu a final do peso (super pesado) para Carina Santi e ficou com o bronze no absoluto. Mas, para uma estreante, nada mal.

A Fernanda Mazzeli (Striker) ficou com o bronze no ano passado, tanto no peso quanto no absoluto, mas no brasileiro desse ano, bateu a Claudia Doval para ficar com o título.

Claire-France Thevenon (Mako Team Paris) debuta na faixa preta e, no ano passado, ficou com o bronze na competição – mas esse ano, ficou com o segundo lugar no Abu Dhabi World Pro.

Campeã Peso (pesado) e Absoluto do ano passado, Claudia Doval vem de super-pesado esse ano (Foto: Lisa Albon)

Peso-Super Pesado

Atual campeã: Venla Orvokki Luukkonen – Hilti Akademi Nord

Venla Orvokki (Hilti Akademi Nord) já é veterana na categoria. Em 2013, ela finalizou a jornada na faixa marrom como campeã. No ano seguinte, fez a estreia na faixa preta como campeã, mas bateu na trave nos três anos seguintes até finalmente, sagrar-se campeã novamente no ano passado. Ela defende novamente o título.

Mas ao lado dela, vem Nina Moura (Atos), que compete o primeiro mundial pela equipe de André Galvão e quer tirar o gostinho do bronze que conquistou em 2017.

Claudia Doval (De La Riva), em categoria diferente do ano passado, vem do vice-brasileiro e, no Europeu, ficou com o vice na categoria e bronze no absoluto, mas beliscou ouro de monte pelos Opens que passou neste ano.

Jessica Flowers (Gracie Barra) também ficou com o ouro do brasileiro, e terminou o mundial no ano passado com o bronze.

Para completar a categoria que tem um total de 6 atletas, Alison Victoria Tremblay (Brazilian Top Team) e Elizabeth Katherine Mitrovic (Cassio Werneck).